Amanda DaCosta despede-se dos relvados aos 27 anos

A internacional portuguesa Amanda da Costa, de 27 anos, anunciou hoje que vai se retirar do futebol depois do jogo de sábado da sua equipa, os Boston Breakers, após sete temporadas como profissional.

“Tomar esta decisão, de abandonar o futebol, nunca seria fácil, e quero agradecer aos Boston Breakers por me apoiarem. Tenho oportunidades a acontecer à minha volta que não posso deixar passar neste ponto da minha vida, e estou a olhar para onde a vida depois do futebol me leva”, explicou a médio lusa, em declarações ao sítio oficial da equipa norte-americana, pela qual alinhou em oito partidas desde que assinou, já este ano.

Amanda da Costa representou Portugal no Euro2017, na Holanda, a primeira participação da história do futebol feminino português numa fase final sénior.

Depois de alinhar nos escalões sub-17, sub-20 e sub-23 pelos Estados Unidos, a antiga jogadora dos ingleses do Liverpool, nos quais se sagrou campeã em 2013 e 2014, estreou-se pela equipas das ‘quinas’ em 01 de dezembro de 2015, frente à Espanha, tendo somado um total de 20 internacionalizações ‘AA’.

Da Costa agradeceu aos “adeptos, amigos, família, treinadores e colegas de equipa”, elogiando o “crescimento do futebol feminino nos últimos anos”, sendo que o desporto está destinado “a grandes coisas no futuro”.

Depois de jogar futebol na liga universitária pelos Florida State Seminoles, de 2007 a 2010, Amanda, natural de Katonah, no estado norte-ameircano de Nova Iorque, passou por equipas séniores como Washington Freedom, MagicJack e uma primeira passagem pelos Breakers, entre 2011 e 2012.

De 2012 a 2014, mudou-se para Inglaterra e para o Liverpool, no qual foi uma peça fundamental para a conquista de duas ligas inglesas, sob a orientação de Matt Beard, que agora voltou a orientar a portuguesa em Boston e que considera “uma grande jogadora e uma grande pessoa”, com quem partilhou “muitas memórias felizes em campo” e a quem desejou felicidades.

Antes de regressar aos Breakers, ainda passou pelos Washignton Spirit, em 2015, e pelos Chicago Red Stars, na temporada de 2016, tendo tido uma experiência como treinadora em 2012, com os Talahassee United e a Universidade da Flórida.

O diretor para o futebol do clube de Boston, Lee Billiard, agradeceu “as enormes contribuições da Amanda ao futebol feminino em geral”, caracterizando-a como “uma embaixadora do jogo e uma grande profissional”.

No sábado, os Breakers defrontam em casa os Orlando Pride, naquele que será o último jogo damédio portuguesa, de 27 anos.

 

In Twitter Amanda DaCosta e https://desporto.sapo.pt

Joana Lima

Desde 2011 comecei a assistir a alguns jogos na TV. Depois da final da Champions, apaixonei-me por este desporto. Não escrevo com o Novo Acordo Ortográfico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *