“Assim que criaram o futebol feminino em Serpa, nem pensei duas vezes”, Francisca Trigo, CAC Pontinha

1) B.I. Futebolistico
Nome completo: Francisca Rodrigues Trigo Pereira
Nome Futebolístico: F. Trigo
Local e data de nascimento:Serpa, 05-07-1993
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: estudante
Ano que iniciaste a prática futebol federado: 2010
Clubes que já representaste no futebol: F.C. Serpa (2009/10, 2010/11 e 2011/12), U.D. Ponte Frielas (2012/2013),
Clube Actual: C.A.C. Pontinha
Posição especifica: defesa central
Títulos Colectivos Conquistados : Campeãs distritais 2010/2011 (F.C.Serpa)
Títulos Individuais Conquistados :
Número de internacionalizações:
Clube Favorito: F.C.Porto
Número Preferido: 6
Jogador preferido: não tenho nenhum
Jogadora preferida: Marta Pica
Uma virtude: Bem disposta
Um defeito : Arrogante

2)Como é que começaste a praticar futebol?

Antes de praticar futebol, praticava patinagem artística, porque na altura, era o único desporto que havia para raparigas em Serpa. A partir do momento que criaram o futebol feminino em Serpa, nem pensei duas vezes e dediquei-me logo.

3)Tiveste o apoio da tua família?

Sempre!

4)O futebol foi sempre a única paixão , ou gostavas de fazer desporto em geral?

Sim, sou uma desportista no geral! Fiz patinagem artística, natação, equitação, voleibol, ténis de mesa, ginástica, mas o futebol é o que me cativa mais, sem dúvida.

5)Qual foi o melhor e o pior momento que viveste no futebol até hoje e porquê?

O pior momento foi num jogo importante (apesar de o serem todos), a minha equipa já estava a perder para aí por 4 ou 5 golos a 0 e de repente comecei a desistir, brincar com as minhas colegas sobre a situação, a rir, a não correr, a ‘gozar’ com tudo e com todos até acabar o jogo, que ficou 8-0. O nosso treinador estava fulo e com razão, mas na altura não me apercebi da gravidade da situação. No entanto, depois de reflectir sobre isso fiquei tremendamente arrependida e envergonhada. Não tive uma atitude nada correcta e levei as minhas colegas a desistirem também. Foi a pior sensação que tive. A partir daí, nunca mais desisti.

Até hoje, os melhores momentos foram ter vindo jogar para Lisboa, porque só aqui (e no norte) é que há portas para um futuro no futebol feminino e ter ganho o campeonato distrital. Apesar destes momentos, espero vir a ter muitos outros!

6)Como te descreves como jogadora?

Estou sempre bem disposta, apesar do resultado e/ou de ‘gozarem’ comigo nas bancadas (eheh). Onde quer que esteja dou sempre o máximo e não guardo ressentimentos. Tenho garra e força de vontade.

7)Tens alguma superstição ou ritual antes ou depois dos jogos?

Não, nada..

8)O que te motiva para continuares a jogar futebol?

O gosto pelo futebol, pelo desporto em si e a ambição de alcançar sempre mais, quer como pessoa, quer como futebolista.

9)Alguma vez sentiste que o futebol te prejudicava nos estudos ou na tua vida profissional?

A minha mãe acha que sim (eheh) porque, agora que estou em Lisboa e na faculdade (só me mudei para cá no ano passado), só ligo ao futebol e estudar nunca há vontade. No entanto, o futebol, apesar de me poder distrair um pouco, nunca foi realmente uma razão que me prejudicasse nos estudos.

10)A falta de condições e de reconhecimento do futebol feminino é só um problema de dinheiro?

Acima de tudo acho que é falta de vontade e de informação por parte de algumas pessoas. Claro que o dinheiro é importante, mas sem vontade e sem a informação toda, o futebol feminino não passará de meros desejos para muitas raparigas!

11)Achas que o futebol feminino ainda está ligado a preconceitos?

Acho que cada vez menos…e mais do que os preconceitos, são os estereótipos, apesar de também estarem a diminuir.

12)Achas que num futuro próximo vamos ter uma liga profissional em Portugal?

Acho que sim.

13)Qual a liga estrangeira que mais te atrai?

Infelizmente e muito honestamente, não conheço as ligas estrangeiras e estaria a mentir se fosse procurar à internet e respondesse uma qualquer. É um assunto que espero ainda vir a perceber melhor, mas que por agora não consigo responder.

14)Se te aparecesse uma oportunidade para ser profissional em Portugal ou no estrangeiro aceitavas?

Não sei. Iria depender de vários factores. É algo que só saberia na altura. Mas que gostava, gostava!

15)Até quando pensas jogar futebol?

Não sei…até conseguir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *