Chica Cardoso, a nutricionista que coleciona títulos desde 2013

Avançada Francisca Cardoso, nutricionista de formação, ajudou a quebrar o enguiço do SC Braga.

20 anos, duas Supertaças e uma Taça de Portugal. Francisca “Chica” Cardoso é uma das mais jovens atletas do plantel do SC Braga, mas com base no currículo, ninguém diria que cinco anos no futebol foram suficientes para tamanha conquista. Antes da cobrança da grande penalidade pensou: “Confiança, foca-te e bate”. Resultou! Acabaria por levar o SC Braga à conquista do primeiro troféu no futebol feminino. No balneário, há sempre uma recomendação para as colegas de equipa sobre o que devem comer, até porque na vida como no futebol, “todas as pessoas precisam de uma boa alimentação”.

Alguma vez pensaste que serias uma das principais responsáveis pela conquista do primeiro troféu do SC Braga?
Não, nunca pensei muito nisso. Tentei ajudar a equipa, mas também sabia que uma ponta-de-lança tem sempre mais probabilidade de marcar um golo. Por acaso fui eu, mas ficaria igualmente feliz se fosse qualquer outra das minhas colegas a levar o jogo para prolongamento.

O SC Braga já merecia um troféu…
Já merecíamos um título há algum tempo, sim. O SC Braga é um projeto muito bem estruturado e que já merecia ser recompensado por isso.

O que é que o treinador Miguel Santos disse no final da partida?
Sinceramente, não me lembro. Só pensava em festejar com todas as jogadoras e com todo o staff. Entregamos a taça ao nosso presidente e ficamos ali uns bons 40 minutos a festejar. Demoramos um bocadinho a cair na realidade. No início da semana de trabalho o treinador deu-nos os parabéns pela prestação que tivemos, pois sofrer um golo aos seis minutos nunca é fácil, mas a equipa teve personalidade e soube aguentar a partida até ao último minuto. O mister já disse que agora temos que estar focadas no campeonato.

Receção na Câmara Municipal, dezenas de adeptos à espera. Isto prova que o futebol feminino do SC Braga está a crescer?
Temos uma massa associativa incrível. Nós sentimos que eles acreditaram em nós do início ao fim da partida frente ao Sporting. Sabíamos que este era um título que os adeptos queriam mais do que nós. A receção na Câmara Municipal foi simplesmente incrível.

Ao contrário de algumas das tuas colegas já conquistaste uma Taça de Portugal e uma Supertaça, tendo tu apenas 20 anos.
Quando ganhei uma Taça de Portugal ao serviço do Boavista tinha apenas 15 anos, mas na altura fiquei na bancada por opção técnica. As pessoas que me conhecem sabem que este título ao serviço do SC Braga tem mais significado, não por desrespeito aos outros clubes por onde passei, mas simplesmente porque tive a oportunidade de jogar e dar o meu contributo.

Já tiveste a oportunidade de representar a Seleção Nacional. Como é vestir a camisola de Portugal?
Tive a oportunidade de representar a Seleção Nacional ainda nas camadas jovens. Vestir a camisola de Portugal é um sentimento único. Representar o nosso país em provas internacionais é um amor que todas sentimos, independentemente do clube que representamos. Gostaria de continuar a dar o meu contributo à seleção e trabalho todos os dias para alcançar esse objetivo.

Concordas com a ideia de que o futebol feminino tem vindo a crescer em Portugal?
Nos últimos cinco anos tenho assistido a um desenvolvimento incrível do futebol feminino. Antigamente, nem sequer Supertaça existia. A criação de novas competições, de novas seleções e o facto de a seleção ‘A’ ter alcançado a fase final de um Europeu são passos muito significativos para que a modalidade possa ter a visibilidade que merece.

Mas ainda existem alguns entraves…
É complicado. Temos de dar passos pequenos e todas as pessoas envolvidas nesta modalidade sabem que ainda há um logo caminho a percorrer. As coisas estão a melhorar, mas vão ficar ainda melhores.

No presente há uma Francisca jogadora de futebol, mas no futuro teremos uma Francisca nutricionista?
Sempre tive dúvidas naquilo que queria seguir. Para além do futebol não gostava de nada ao ponto de ir para a universidade estudar isso. Lembro-me de ter ido com a minha escola a uma mostra de cursos na Universidade do Porto e de me ter aproximado da banca de nutrição. A miúda que lá estava disse: ‘Gostas de desporto? Gostas de comer?’ e eu disse: ‘Sim, gosto’. E assim foi. A nutrição é uma coisa que está presente na vida de todos, uma vez que todas as pessoas precisam de comer bem.

Até porque, sendo tu desportista, dá um certo jeito.
Dá sempre um jeitinho, sim. Quando faço algum comentário sobre nutrição, as minhas colegas de equipa dizem logo: ‘Pronto, lá vem a nutricionista’. Não consigo evitar.

É fácil conciliar o futebol com os estudos?
Fácil de conciliar nunca é. Nós temos semanas de treino como se fossemos profissionais, com dois treinos por dia e ainda um jogo ao fim-de-semana. Não sobra muito tempo para as aulas, mas com algum sacrifício dá para fazer tudo. Acaba por ser uma segurança, não só para as jogadoras de futebol feminino, mas para os desportistas no geral. As pessoas não se devem acomodar e têm de procurar novas aprendizagens.

In http://sjogadores.pt

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe um comentário