História FutFem

O futebol é o desporto de equipa mais disseminado entre as mulheres em muitos países, sendo um dos poucos desportos com ligas profissionais.

A mulher tem sido importante para o desenvolvimento e evolução do futebol até hoje. Os primeiros indícios datam desde o tempo da Dinastia Han em que as mulheres jogavam uma variação do antigo jogo chamado TSU Chu. Há outros relatos que indicam que, no décimo segundo século, era usual que as mulheres participassem em jogos de bola, especialmente na França e na Escócia. Em 1863, foram definidas regras para prevenir a violência no jogo, sendo o futebol considerado socialmente aceitável para as mulheres. Em 1892, na cidade de Glasgow (Escócia) realizou-se o primeiro jogo de futebol entre as mulheres.

A Primeira Guerra Mundial foi a chave para o crescimento do futebol feminino na Inglaterra. Como muitos homens foram para o campo de batalha, a mulher foi introduzida na força trabalhadora e muitas fábricas tinham as suas próprias equipas de futebol que até então eram privilégio dos homens. No entanto, no final da guerra, a Football Association (FA) não reconheceu o futebol feminino, apesar do sucesso e popularidade. Isto levou à formação da English Ladies Football Association (Associação de Futebol Feminino Inglês) cujo início foi difícil devido ao boicote da FA que levou mesmo a mulheres a jogarem em estádios de Rugby.

Após o Campeonato do Mundo de 1966, o interesse dos amadores cresceu de tal forma que a FA decidiu voltar atrás e em 1969 criou o ramo feminino da FA. Em 1971, a UEFA instruiu os seus respectivos parceiros a gerir e promover o futebol feminino e na Europa, este desporto foi consolidado nos anos seguintes. Assim, países como a Itália, E.U.A. e o Japão têm ligas profissionais cuja popularidade não inveja o que é atingido pelos seus similares do sexo masculino.

O mundo do futebol feminino

Futebol Feminino – Primórdios na FPF

1ª Selecção Nacional

1º jogo, em 24.10.1981, com a França, em Le Mans – 0/0

Jogadoras: Alice Ribeiro (Boavista FC), Paula Freitas (Boavista FC), São Tato (Leixões SC), Eva (Coelima), São Azevedo (Boavista FC), Alfredina (Leixões SC), Tisa (Coelima), Fátima Silva (Boavista FC), Isabel Santos (Boavista FC), Silvia (Boavista FC), Ana Lessa (Boavista FC).

Suplentes: Gena (Foz), Olivia (Boavista FC), Albertina (Boavista FC), Emilia (Coelima), Cidália (Coelima).

“Aqui não há nomes sonantes como Luís Figo nem feitos internacionais que prendam a atenção do público. Os estádios não se enchem e a televisão quase pede desculpa para transmitir um jogo da Selecção Nacional. Mas ninguém baixa os braços na luta por um lugar ao sol. Há 20 anos era um escândalo as raparigas andarem atrás de uma bola. Hoje, centenas de jovens por todo o País batem à porta dos clubes que se multiplicam na criação de equipas femininas. Ninguém quer perder o comboio e se hoje são mais de 1.100, amanhã serão muitas mais as jogadoras que sonham um dia vir a tornar-se tão conhecidas como Luís Figo. O futebol feminino em Portugal está vivo e recomenda-se.”

In http://todossomosportugal.blogspot.com

One thought on “História FutFem

  1. tenho um grande orgulho em ter pertencido a esta grande seleção de lutadoras contra todos os preconceitos, que felizmente foram desaparecendo. Lutámos com todas as armas que possuiamos contra tudo e contra todos por um sonho, que conseguimos se tornasse realidade para tantas praticantes

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *