Salvador: “Não foi preciso desertar para um clube de Lisboa para ganhar títulos”

Por Melo Rosa

Presidente do Braga assinalou a conquista da Supertaça de futebol feminino, aproveitando para deixar uma alfinetada às jogadoras que deixaram o clube arsenalista.

António Salvador e o plantel de futebol feminino do Braga marcaram presença esta segunda-feira nos Paços do Concelho da Cidade dos Arcebispos para a homenagem da autarquia minhota após a conquista da Supertaça, frente ao Sporting, no domingo. O presidente do Braga destacou o “crescimento do projeto” e aproveitou para deixar uma alfinetada às jogadoras que deixaram o clube no final da época.

“Quero em primeiro lugar cumprimentar as jogadoras que ontem [domingo] conquistaram este troféu que ambicionávamos há muito tempo, desde a primeira hora em que estamos neste projeto de futebol feminino. E ontem estas jogadoras, com o nosso treinador ao leme, conseguiram ganhar o primeiro título, vai ser o primeiro de muitos que o Braga vai conquistar ao longo dos próximos anos no futebol feminino. Temos feito uma aposta muito forte neste projeto do futebol feminino, este é um projeto que está em crescendo a nível nacional e internacional e dá visibilidade ao clube, à cidade e à região. Quero deixar-vos uma palavra de gratidão, porque tudo fizeram para trazer este troféu para Braga”, assinalou Salvador, prosseguindo:

“Não foi preciso, como fizeram outras atletas, desertar para outro clube, para Lisboa, para ganhar o primeiro título. As nossas jogadoras, como a Vanessa, a nossa capitã, a Rute, a Ana Rita e as outras que transitaram do ano passado, essas mostram o amor que têm pelo clube. Para vencer é preciso ter paixão e amor por aquilo que fazem. Não é preciso mudar de clube para conquistar títulos. Provaram que têm capacidade para vencer e honrar a camisola que vestem”, atirou o dirigente máximo do Braga.

In www.ojogo.pt

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe um comentário