Ambição e crer

Com apenas 19 anos e três participações no Algarve Cup na bagagem, Dolores Silva é uma das mais jovens jogadoras da Selecção Nacional Feminina A. Salientando a evolução da modalidade nos últimos anos, a médio lusa deposita toda a confiança nas capacidades da formação lusa, que luta pela sétima posição no Algarve Cup 2011.

Tendo representado a formação lusa por 15 ocasiões, Dolores Silva deposita toda a confiança nas capacidades da Selecção Nacional Feminina e acredita ser possível alcançar o sétimo lugar no Algarve Cup 2011. “Como é óbvio, as ambições mudam há medida que o tempo passa e, por essa razão, as minhas ambições são um bocadinho diferentes das que tinha há dois anos, nesta mesma competição. Mas o principal objectivo passa sempre por conseguir dar o meu melhor, ajudar a equipa e dar tudo pelos nossos objectivos. Acredito que podemos conseguir o sétimo lugar se nos mantivermos unidas e formos capazes de colocar em campo a união de grupo que se tem manifestado nos últimos jogos. Unidas e com um esforço conjunto, acredito que conseguiremos alcançar a melhor classificação possível.”
Satisfeita com o desenvolvimento da Equipa das Quinas, a médio lusa, mostrou-se confiante e depositou muitas esperanças no futuro. “Temos vindo a crescer, quer a nível do Futebol Feminino Português quer da própria equipa e isso tem sido visível nos nossos jogos e nos resultados obtidos. A classificação que obtivemos na última qualificação do Campeonato do Mundo foi inédita, porque nenhuma equipa tinha feito 12 pontos, e os resultados das últimas edições do Algarve Cup provam que estamos a atingir níveis superiores. Temos mais ambições e acreditamos que podemos ir longe.”

Para além da competição, Dolores Silva salienta a importância da mediatização do Algarve Cup e da importância que assume para a visibilidade do Futebol Feminino. “O Mundialito é considerada a quarta prova mais importante do calendário internacionaol e aqui temos o privilégio de conviver com as melhores selecções e as melhores jogadoras do Mundo. Isso atrai muitos jornalistas, a nível nacional e internacional, dá outra visibilidade à equipa e permite-nos mostrar um pouco do nosso futebol e, quem sabe, mudar mentalidades. Temos capacidade e nesta competição podemos mostrar isso de forma mais abrangente.”

Mesmo com toda a evolução registada nos últimos anos, a jogadora lusa acredita que há mentalidades que necessitam de ser modificadas para que o Futebol Feminino cresça, ainda mais. “Apesar de fazer parte desta nova geração e ter oportunidade de viver experiências que as jogadoras mais velhas não puderam, sei que o preconceito ainda existe e que, por vezes, nos impedem de dar um salto na evolução. Há mentalidades que nos impedem de evoluir mais, que não nos deixam crescer, mas que mudarão com os tempos.”

Apesar do resultado positivo alcançado no jogo de estreia da Selecção, diante do País de Gales (vitória por 3-1), Dolores Silva admite que a exibição ficou aquém das expectativas. “Penso que a ansiedade e o facto de não sabermos bem o que esperar das adversárias, ditou uma primeira parte menos bem conseguida. Depois, conseguimos marcar, superámos as dificuldades e vencemos o jogo”, disse.

Na próxima sexta-feira, Portugal entra em campo pelas 18h00, frente à formação do Chile, em Vila Real de Santo António.

In www.fpf.pt

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *