“As mulheres nunca tiveram nada de forma fácil”, Tracy Monteiro, Valadares Gaia FC/Montra Talentos

1) B.I. Futebolistico
Nome completo: Jhessica Tracy Araújo de Oliveira Monteiro
Nome Futebolístico: Tracy Monteiro
Local de nascimento: Fortaleza – Brasil
Nacionalidade: Luso-brasileira
Profissão: Estudante
Ano que iniciaste a prática futebol federado: 2000
Clubes que já representaste no futebol: Futsal CF Nogueirense; Académico Clube de Viana; Casa do Povo de Freixo. Fut 11: Fonte Boa, Vilaverdense FC, Casa do Povo de Martim, AC Milan Guimarães/Montra de Talentos
Clube Actual: Valadares Gaia/ Montra de Talentos
Posição especifica: médio
Títulos Colectivos Conquistados : 2000/2001 e 2002/2003 – Finalista Vencida da Taça da AF Viana do Castelo (CF Nogueirense)
2003/2004, 2004/2005 e 2005/2006 – Campeão da AF Viana do Castelo (CP Freixo Futsal)
2005/2006 – Vencedor da Taça da AF Viana do Castelo (CP Freixo Futsal)
2008/2009 – Vice campeã da AF Braga e vencedor da Taça (Gualtar futsal)
2009/2010 Vice-campeã da 2º divisão nacional (Vilaverdense FC)
2009/20010 Vencedora do Torneio Internacional Compostela Cup em representação da seleção da AF Braga
Títulos Individuais Conquistados : Melhor marcadora torneio Ceara (futsal)
Número de internacionalizações: 0
Clube Favorito: FC Porto
Número Preferido: 9
Jogador preferido: Ednardo Monteiro
Jogadora preferida: Filipa Pereira
Uma virtude: Teimosa
Um defeito : Teimosa

2)Como é que começaste a praticar futebol?

Jogava com os meus amigos e um dia, uma miúda levou-me a ver um torneio da equipa de futsal que ela jogava. Eles fizeram duas equipas e por coincidência nesse dia as equipas estavam a jogar uma contra a outra. O treinador perguntou se eu queria jogar, eu disse que sim, calhou de marcar um golo e a equipa mais “fraca” ganhar, foi muito engraçado porque as jogadoras eram todas mais velhas que eu e vieram tirar satisfações comigo, fiquei um pouco “assustada”, mas logo me apercebi que era brincadeira.

No final o treinador falou comigo e perguntou se queria fazer parte da equipa, disse prontamente que sim e comecei a treinar com elas.

3)Tiveste o apoio da tua família?

Sim, sempre tive apoio incondicional da minha família. Achavam um pouco estranho o meu interesse pelo futebol, mas eu queria jogar num clube e devo dizer que andaram por todo o lado à procura de um que para eu jogar.

O meu pai que foi jogador profissional dava-me e continua a dar muitos conselhos, o que ajuda muito no meu crescimento como jogadora.

4)O futebol foi sempre a única paixão , ou gostavas de fazer desporto em geral?

Sempre foi a principal paixão, mas gosto de praticar outros desportos, gosto bastante de desporto, mas não trocaria o futebol por nenhum deles, é um amor muito grande e forte que só quem joga entende.

5)Qual foi o melhor e o pior momento que viveste no futebol até hoje e porquê?

O pior momento foi mesmo uma lesão que tive que me afastou durante bastante tempo dos relvados. o Melhor momento, penso que todos os momentos são especiais à sua maneira.

6)Como te descreves como jogadora?

Prefiro que sejam os outros a descrever-me, mas acima de tudo procuro dar sempre o meu melhor dentro das quatro linhas.

7)Tens alguma superstição ou ritual antes ou depois dos jogos?

Não considero que seja uma superstição ou ritual, mas gosto de ser a última a entrar em campo.

8)O que te motiva para continuares a jogar futebol?

A paixão que sempre tive pelo futebol, a ambição de fazer mais e melhor, a alegria e o gozo que o futebol me dá, a sensação única de marcar um golo, fazer uma finta, um passe de “morte” e tantas outras coisas.

9)Alguma vez sentiste que o futebol te prejudicava nos estudos ou na tua vida profissional?

Muitas vezes, já deixei de fazer muitas cosias importantes por causa de um jogo, coisas que ninguém percebe como se troca um jogo por um concerto num grande palco por exemplo, só mesmo quem sabe o que é o futebol e a importância que ele tem para entender.

10)A falta de condições e de reconhecimento do futebol feminino é só um problema de dinheiro?

Penso que não, é um problema de falta de vontade também. Tantas equipas onde as jogadoras recebem para jogar e estamos a falar de campeonatos amadores que muitas vezes nem ligados à FPF são, por isso não é só falta de dinheiro é falta de vontade, de querer apostar no futebol feminino porque isso não trás retorno financeiro como o masculino de forma imediata, mas quem sabe se futuramente não trará?

11)Achas que o futebol feminino ainda está ligado a preconceitos?

Sim, penso que já se começa a ver com outros olhos as mulheres no futebol, mas ainda há preconceitos, mas aos poucos e poucos, vamos mostrando o nosso valor, as mulheres nunca tiveram as coisas de forma fácil, nem direito ao voto tínhamos, mas com muito trabalho e sacrifício hoje podemos votar, assim como hoje podemos jogar futebol e futuramente também acabaremos com este preconceito.

12)Achas que num futuro próximo vamos ter uma liga profissional em Portugal?

Num futuro próximo acho dificil, mas quem sabe… as coisas tem vindo a mudar para melhor no que ao futebol feminino em Portugal concerne, por isso sim não descarto de todo essa possibilidade, mas daqui a uns bons anos…

13)Qual a liga estrangeira que mais te atrai?

A alemã e a francesa.

14)Se te aparecesse uma oportunidade para ser profissional em Portugal ou no estrangeiro aceitavas?

Aceitaria, claro… jogar futebol é uma paixão, algo sem igual e se ainda te pagam para fazer algo que amas, que mais se quer?

15)Até quando pensas jogar futebol?

Até quando não der mais para o fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *