Bia ‘meio-metro’ trava Sp. Braga

Avançada marcou o golo do Estoril e fez com que o Sp. Braga cedesse os primeiros pontos da época

• Foto: Miguel Barreira

Beatriz Fonseca, jogadora do Estoril, é conhecida no mundo do futebol como Bia ‘Meio-metro’ desde os tempos em que era criança e jogava na formação do clube da sua terra natal, o Guarda Desportivo, que era maioritariamente constituído por rapazes. A alcunha surgiu devido à sua baixa estatura, que nos dias de hoje ainda é bastante notada nos campos de futebol da 1ª Liga de futebol feminino.

A estorilista fez no domingo, na partida entre Sp. Braga e Estoril (1-1), o golo que levou as bracarenses a perder os primeiros pontos ao fim de 14 vitórias consecutivas. O resultado até podia ter sido melhor para o Estoril, mas o golo do empate das guerreiras do Minho apareceu aos 88 minutos.

Em declarações a Record, Bia mostra-se feliz pelo golo ao Sp. Braga. “Marcar aos grandes, como o Sp. Braga ou o Sporting, é uma sensação diferente e nunca tinha marcado a uma destas duas equipas. Juntar o golo ao ponto conquistado encheu-me de alegria. Ver a alma estorilista durante o festejo do meu golo foi algo fantástico e espero que se repita”, exalta a atleta de 20 anos. Sobre o momento da equipa do Estoril, Bia diz que está a crescer e a ficar mais forte. “Não começámos bem a época, mas o que importa é como termina e não como começa. A chegada das novas jogadoras e treinadora foi no fundo uma lufada de ar fresco. Estamos a evoluir e aos poucos estamos cada vez mais coesas e perto daquilo que pretendemos para esta temporada, que é um lugar no pódio e alcançar a final da Taça de Portugal, no Jamor”, explica a número 18 das canarinhas, antes de acrescentar que não tem uma meta de golos estabelecida. “Não penso em quantos golos vou fazer. Gosto de marcar mas o mais importante são os três pontos”, refere.

Prefere ter um estilo próprio

Beatriz Fonseca falou com Record sobre os jogadores que mais a influenciam no futebol e no seu estilo de jogo, garantindo que não tem qualquer influência. “Não tento imitar ou jogar como algum jogador em específico, tenho o meu estilo. Gosto de ver o Ibrahimovic e o Cristiano Ronaldo a jogar, mas não os imito. Já no futebol feminino, a Dolores Silva e a Ana Borges são quem mais gosto de ver, mas também não as tento imitar. Acho que cada uma de nós tem de ter a sua própria maneira de jogar”, refere a jogadora.

Com os objetivos bem definidos

Com duas internacionalizações pela Seleção Nacional feminina de sub-19, Bia explica quais as metas que traça para o futuro. “O grande objetivo da minha carreira é chegar à Seleção principal. Todas pretendemos chegar ao topo e eu não sou diferente. Sei que ainda pode demorar algum tempo, mas se trabalhar muito poderei lá chegar um dia. Em relação ao meu futuro no Estoril não há muito a dizer. Estou contente neste clube e tratam-me bem desde o primeiro dia em que aqui cheguei”, revela.

In record.pt

AnaSilva

Adepta do desporto em geral, mas apaixonada pela modalidade REI (Futebol). Passei a fazer parte deste projecto Portal Futebol Feminino em Portugal com a intenção de poder ajudar na divulgação e promoção do Futebol Feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *