Campeonato de Promoção, Série C, 11.ª Jornada: Esperança AC – UR Cadima

EMPATE JUSTO EM JOGO REPARTIDO
(ESPERANÇA 1 CADIMA 1)

No passado fim de semana, o Esperança Atlético Clube recebeu, em casa emprestada, a União Recreativa de Cadima para mais uma jornada da série C do Campeonato de Promoção. Nem o facto das duas equipas já se encontrarem um pouco arredadas da disputa dos primeiros lugares, nem o estado do terreno, em muitas áreas bastante alagado, impediram que fosse porporcionado um belo espetáculo de futebol aos adeptos presentes no sintético do Adémia.

Na primeira parte, o EAC começa cedo a tomar conta do jogo e a instalar-se no meio campo adversário, mas o primeiro remate pertence à equipa do Cadima, com a sempre perigosa Anita a atirar, já dentro da área, à figura de Renata. Na resposta, Cris bate de livre para Ana Carolina à boca da baliza rematar forte contra uma defesa adversária. Alguns minutos depois, é novamente Ana Carolina que, numa boa desmarcação pela direita, aparece frente a Teresa mas o remate não sai perfeito, tendo a GR feito uma boa estirada, com a recarga a não surgir. Nesta altura, já o EAC fazia por merecer o golo, e este surge então aos 16 minutos: tudo começa num cruzamento feito por Cris, com Liane a desviar ligeiramente de cabeça e Dina, oportuna ao primeiro poste, a finalizar de cabeça a meias com a mão. Lance possivelmente ilegal mas a árbitra assim não o considerou. Logo de seguida, o EAC podia ter-se distanciado mais no marcador, mas Dina isolada por Ana Carolina não consegue enganar a GR. O EAC continuava a construir jogadas de ataque mas as bolas perdiam-se pela linha final ou paravam facilmente nas mãos de Teresa. De realçar uma queda de Dina à entrada da área, que a árbitro não considerou faltosa. Nos 15 minutos finais, é o Cadima que finalmente se começa a chegar à grande área das visitadas e a criar algum perigo. Primeiro, Ana Martinho surge em posição perigosa mas remata ao lado e, de seguida, é Anita que, depois de se desembaraçar de forma perfeita da sua marcadora direta, em plena área, remata forte por cima, à saída de Renata. Chegava-se assim ao intervalo com uma vantagem justa para o EAC, que apesar de ter marcado num lance duvidoso, foi realmente a melhor equipa nos primeiros 45 minutos.

A segunda parte do jogo foi completamente diferente, com o Cadima a instalar-se no meio-campo adversário e o EAC a tentar explorar o contra-ataque sempre que possível. Aos 4 minutos, Anita surge isolada frente à GR, remata rasteiro e colocado, mas Renata consegue um bom desvio para canto. Na sequência do canto e depois de alguns ressaltos, a bola sobra para Raquelita que remata forte, para defesa segura de Renata. Logo de seguida, um passe de Ana Martinho isola Antónia que, à saida de Renata, remata ao poste. Aos 11 minutos, surge com justiça o golo do empate, numa “oferta” de Renata, que sai em falso a uma bola bombeada para as costas da defesa, sobrando esta para Antónia, que com a baliza aberta não se fez rogada. O golo do empate fez despertar um pouco a equipa do EAC, que entrou na segunda parte um pouco apática, com as suas jogadoras a esboçarem alguns lances de ataque mas os lances de maior perigo continuavam a surgir junto à baliza de Renata, que apesar da falha no golo, não deixou de se mostrar segura. O Cadima continuava a tentar servir a rápida Antónia na frente, mas a defesa do EAC conseguiu levar a melhor e as redes não mais se abanaram. De assinalar uma falha clamorosa de Anita à boca da baliza, após cruzamento de Ana Martinho, e um cabeceamento de Antónia ao lado. Do outro lado, os sempre perigosos cantos de Cris foram bem anulados pela equipa do Cadima, exceto num, em que Diana Graça por pouco não faz a emenda ao segundo poste. Antes de terminar o jogo, dois lances mais ou menos polémicos que poderiam ter dado origem a livres bem perigosos, cada um no seu lado do campo, também aqui refletindo a divisão equalitativa da partida. Primeiro, uma falta de Cris em zona frontal não é assinalada pela árbitra e, de seguida, no outro lado, uma mão claríssima de uma jogadora do cadima, em zona também perigosa, não é sancionada pela árbitra.

O resultado foi assim justo, com o EAC a dominar a primeira parte e o Cadima a segunda, com diversas oportunidades boas de parte a parte e com uma divisão mais ou menos igualitária também nos lances polémicos, com a ressalva de que o Cadima poderá ter direito a queixar-se mais, devido ao golo sofrido. A próxima jornada jogar-se-á no dia 17 de Fevereiro, com o EAC a deslocar-se à Murtosa, para tentar vingar a derrota em casa na primeira volta, num jogo que dominou quase por completo. Força, Esperança!

Esperança: Renata, Diana Simões (Flor 65′), Carol, Cláudia, Carolina Gomes (Andreia Batalha 89′), Diana Graça, Cris, Ana Carolina, Liane ( Marilyne 45′), Beatriz e Diana.
Suplentes não utilizadas: Cátia, Ana Tavares, Mariana Lourenço, Mariana Antão.
Treinador: Tito Conceição.

Cadima: Teresa, Daniela, Raquelita, Sandra, Antónia, Diana Barradas, Leonor (Maria 66′), Sónia, Ana Martinho, Joanita (Rita 52′), Anita.
Suplentes não utilizadas: Jéssica, Mafalda, Nádia, Sara, Inês.
Treinador: João Barradas.

Golos: Dina (16′), Antónia (55′)

Amarelo: Flor.

Por: Renata Silva

One Reply to “Campeonato de Promoção, Série C, 11.ª Jornada: Esperança AC – UR Cadima”

  1. Cara Renata respeitando a sua visão e a sua crónica só lhe acrescentaria mais umas coisitass:

    1º que o resultado final bem podia ter sido 2 – 5  mas não foi

    2º que uma entrada sem nexo , violenta e ficamos por aqui, da vossa nº9 ao joelho de uma central do Cadima lhe pode ter provocado uma lesão grave, e não estamos a falar de uma jogada de futebol onde tudo pode acontecer com azar . .  

    3º que o vosso treinador vestiu a pele de segurança da arbitragem num jogo oficial e que fez toda a segurança ao jogo dando instruções do banco de suplentes ( não me diga que estava castigado ou não tem cartão ), certamente são a equipa com mais imaginação do nacional , só por isso os meus parabéns      

    4º boa continuação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *