Capa da Newsweek, Marta é colocada acima de Kaká e outros craques

Para a revista norte-americana, brasileira é a melhor atleta de futebol do mundo – entre homens e mulheres

A brasileira Marta é capa da edição desta semana da revista norte-americana Newsweek. Para a publicação, ela é, na atualidade, a melhor atleta de futebol do planeta – entre homens e mulheres. A matéria de quatro páginas, com texto de Mac Margolis e fotos de João Kehl, mostra a trajetória da atleta, desde os campos de pelada em Dois Riachos, em Alagoas, até os dias atuais. Marta foi eleita cinco vezes seguidas a melhor jogadora de futebol feminino do mundo, pela Fifa.

“Esqueçam Kaká: a pequenina Marta é a nova estrela do Brasil”, diz a revista. A publicação cita ainda o malabarismo de Ronaldinho Gaúcho e as jogadas de Robinho e diz que, eles, assim como Marta, praticam o que no Brasil se costuma chamar de “futebol arte”. Uma famosa frase de Telê Santana, que certa vez disse que preferia perder jogando bonito do que ganhar uma partida truncada, também é usada para exemplificar o desempenho de Marta no gramado.

Técnico de Marta no San Francisco Gold Pride, que conquistou a liga norte-americana da temporada passada, Alberto Montoya também é só elogios à brasileira. Para ele, ninguém que ganhar tanto em campo quanto ela.
“Não há outro atleta no mundo que mude a direção de jogo, o ritmo, e depois conclua como ela faz”, diz.

Manager responsável pela liga-norte americana, Anne-Maria Eilerass diz ainda sobre o “efeito Marta” nos gramados dos Estados Unidos. Em todas as partida que ela atuou, o público presente teve aumento de 15% a 20%.

“Mesmo quem não entende de futebol percebe que está vendo algo especial quando a Marta está em campo”.

Clique aqui para ver a matéria completa, em inglês

Futebol feminino no Brasil
Quando criança, Marta sofria para jogar em Dois Riachos e encontrava resistência até mesmo da mãe. Na rua, enquanto as meninas brincavam com bonecas, o jeito era brincar com os garotos. Com 10 anos, ela ganhou a primeira chuteira, dois números maiores.

“Eu coloquei um pouco de papel, ajeitei entre os dedos e passei a jogar”, relembra Marta.

Apenas aos 14 anos, por influência de um amigo da família, Marta foi tentar a sorte no Vasco, um dos poucos clubes que na época já possuía um time feminino. Era o início da carreira meteórica.

Quatro anos depois, Marta já estava na Suécia, o país mais estruturado do futebol feminino, ao lado dos EUA. Em 103 jogos, pelo Umea UK, foram 111 gols, o que a credenciou para receber três vezes o troféu da Fifa.
Após uma rápida passagem pelo Santos – em cinco jogos, marcou quatro gols e ajudou o Peixe a ser campeão do Torneio Internacional de Clubes, Marta se prepara para voltar aos Estados Unidos. Nesta temporada, ela irá defender o Western New York Flash.

In http://eptv.globo.com

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *