“Com a camisola vestida,ouvir o nosso hino, é impossível fcar indiferente”, Tatiana Pinto, Clube Albergaria

1) B.I. Futebolistico
Nome completo: Tatiana Vanessa Ferreira Pinto
Nome Futebolístico: Tatiana/Tati
Local e data de nascimento: Coimbra 28.03.1994
Nacionalidade: Portugal
Profissão:  Estudante
Ano que iniciaste a prática futebol federado: 2000
Clubes que já representaste no futebol: Oliveira do Bairro Sport Clube (juntamente com os rapazes até ter 13 anos), Sporting Clube de Fermentelos e Clube de Albergaria.
Clube Actual: Clube de Albergaria
Posição especifica: Extremo/meio-campo
Títulos Colectivos Conquistados : 1 Taça de Aveiro e campeonato distrital de júniores
Títulos Individuais Conquistados :    
Número de internacionalizações: 19
Clube Favorito: Barcelona
Número Preferido: 17
Jogador preferido: Lionel Messi
Jogadora preferida: Simone Laudher
Uma virtude: Empenhada
Um defeito : Teimosa

2)Como é que começaste a praticar futebol?

Tinha 6 anos, frequentava aulas de piano. Surgiu a oportunidade de jogar futebol com rapazes e acabei por abandonar as aulas de piano, o futebol foi sempre aquilo que quis.

 

3)Tiveste o apoio da tua família?

Sim, felizmente sim. Eu estava feliz, eles também.


4)O futebol foi sempre a única paixão , ou gostavas de fazer desporto em geral?

Antes de ter começado a praticar esta modalidade, andei em atletismo mas não me adaptei muito bem e acabei por sair. Desde cedo sabia que era o futebol a minha unica paixão.

 

5)Qual foi o melhor e o pior momento que viveste no futebol até hoje e porquê? 

Pior: quando perdemos o jogo da final da taça de portugal com o 1º de dezembro, por 4-0. Apesar de ter sido um resultado merecido e justo, foi pesado. E o que mais me custou foi que no fim de semana anterior à final da taça, tinhamos defrontado o mesmo adversário e quase que acabamos com a “invencibilidade” do 1º de Dezembro, por 3-3. Custou, acho que podiamos ter discutido o jogo de outra forma mas toda a atmosfera que envolvia a final deixou-nos nervosas e ansiosas.

 

6)Como te descreves como jogadora?

Sou alegre e bem-disposta, trabalho e empenho-me para atingir os meus objectivos. Coopero com toda a gente e ajudo naquilo que posso. No entanto, quando as coisas me correm mal, a nivel pessoal, deixo-me afectar.

 

7)Tens alguma superstição ou ritual antes ou depois dos jogos?

 Sim, rezo e dou um beijinho na tatuagem que tenho com o nome da minha mãe.


8)O que te motiva para continuares a jogar futebol?

Chegar à selecção A, ganhar o campeonato nacional, ir à Champions, jogar fora do país.

9)Alguma vez sentiste que o futebol te prejudicava nos estudos ou na tua vida profissional?

Não, sempre consegui conciliar as duas coisas de forma a que tudo corresse minimamente bem.

 

10)A falta de condições e de reconhecimento do futebol feminino é só um problema de dinheiro?

Também, mas principalmente de divulgação, de mediatismo, de igualdade.

11)Achas que o futebol feminino ainda está ligado a preconceitos?

Nesse sentido, acho que as coisas evoluiram, já não é o que era apesar de algumas pessoas ainda terem essa perspectiva negativa, no entanto, cabe-nos a nós, jogadoras e todas as pessoas ligadas ao futebol feminino, mudar ou tentar mudar, essas mentalidades.

 

12)Achas que num futuro próximo vamos ter uma liga profissional em Portugal?

Sinceramente, não sei. Mas adorava que acontecesse, era um passo extraordinário para o futebol feminino.

 

13)Qual a liga estrangeira que mais te atrai?

Liga Alemã (Bundesliga), sem dúvida!

 

14)Se te aparecesse uma oportunidade para ser profissional em Portugal ou no estrangeiro aceitavas?

Aceitava claro, foi e continua a ser um sonho meu. 

 

15)Até quando pensas jogar futebol?

Até que a minha estrutura física o permita.

 

16) Como é vestir a camisola da selecção portuguesa?

É, definitivamente, uma sensação extraordinária e única, é um conjunto de emoções dificeis de explicar. É sentir que, de alguma forma, nos estão a dar o valor que tanto nos custou a alcançar. É o auge de qualquer uma jogadora.

 

17) Qual a sensação antes de entrar em campo na 1ª internacionalização ? As pernas tremem muito ?

Nervosismo, ansiedade. Um orgulho, um sentimento muito bonito, porque é o nosso país, a nossa nação,com a camisola vestida,ouvir o nosso hino, é impossível ficar indiferente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *