Dulce Costa esclarece a sua saída do UR Cadima

A saída da treinadora e jogadora Dulce Costa do Cadima suscitou uma série de comentários mais ou menos polémicos aqui, uma vez que houve quem duvidasse da legitimidade das razões de Dulce para abandonar a vida desportiva. Fica agora aqui o esclarecimento de Dulce sobre a sua saída do clube de Cantanhede:

Comunicado
«Venho por este meio, esclarecer de uma vez por todas, as dúvidas que persistem quanto ao meu afastamento do Cadima. Não me sinto na obrigação de o fazer porque, as explicações que tinha de dar já dei a quem devia (Presidente do Clube), no entanto, quis fazê-lo para de uma vez por todas acabarem com tanta especulação, pararem de dizer tanta parvoíce e me deixarem em paz.

Os motivos que me levaram ao afastamento do Cadima são problemas relacionados com a minha saúde. Nada mais do que isto, tudo o que se possa dizer além disto é MENTIRA.

Se soubesse no inicio da época o que se iria passar neste momento, nunca me teria comprometido com o clube, porque ao contrário do que dizem, sempre fui, sou e espero continuar a ser uma pessoa responsável, que sempre assumiu e vai continuar a assumir os seus compromissos.

Esta época, não me foi possível concluir o meu trabalho e, mais uma vez ao contrário do que dizem, é a primeira vez que deixo um projecto a meio, nunca o fiz anteriormente, não o fiz porque quis, mas sim porque fui forçada a isso. Estas situações, infelizmente, não escolhem data nem hora, não escolhi, aconteceu. Repito, nunca deixei nada a meio, simplesmente a época passada informei o clube, em Abril, que não iria fazer parte do plantel para a próxima época, isto não é abandonar nada a meio.

Nunca pedi nem vou pedir louvores pelo trabalho que desempenhei ao longo de 20 anos neste clube, os louvores que quero e que vou sempre trabalhar para obter, é de boa mãe, de boa esposa, de boa filha e de boa irmã, estes sim são os louvores que eu mais desejo.

Sei aquilo que fiz, sei aquilo que dei e isso não preciso de dizer pois está à vista de todos, só não vê quem não quer. Agora não preciso nem quero que me dêem mais valor por isso, não quero nenhum Busto Dulce em Cadimanem em lado nenhum, ainda não fiz nada de tão importante para merecer tamanha distinção.

Estive presente em todos os momentos altos do Cadima, ganhei campeonatos, taças, levei o clube à primeira divisão, na presente época obtive o melhor lugar de sempre e com acesso garantido à 1ª divisão para a próxima época, se isto é deixar a equipa numa situação complicada imagino se estivessem a lutar para não descer…era crucificada. Mas mais uma vez repito, não deixei porque quis, ou porque me apeteceu ou porque tive medo…

Não fiz nada sozinha como é óbvio e, sou a primeira a reconhecê-lo, todas asatletas que fizeram parte dos vários plantéis, todas as direcções que por lá passaram deram o seu contributo e a sua preciosa ajuda. Evidentemente que não vou ser hipócrita ao ponto de dizer que todos deram de forma igual, umas deram mais que outras, mas cada um sabe de si e não é por isso que deixam de ter a sua importância. Todos colaboraram e todos formam importantes.

Cobarde nunca fui e nem sou, sempre tive coragem e frontalidade para assumir todos os problemas e tratá-los cara a cara com quem de direito, já outros assim não agem comigo.

Apesar de ter comunicado que poderia eventualmente não ser um abandono definitivo, que iria necessitar de me afastar por algum tempo, mas dependendo do progresso da situação da minha saúde, poderia ainda haver um regresso, mas as criticas que me foram feitas por alguns elementos da direcção da URC, colocaram essa hipótese fora de questão. Apesar de respeitar todas as críticas que me fazem, concordando ou não com elas, na minha opinião as que me fizeram não foram de todo merecidas.

Tenho a certeza absoluta que nenhum de vocês colocaria a URC à frente da vossa saúde, ainda mais quando está em causa a nossa vida familiar e pessoal. Talvez até me engane…mas cada um tem as suas prioridades.

Não respeitaram minimamente o meu estado de saúde, a única coisa importante no meio de tudo foi sempre a equipa, equipa, equipa. Numa equipa tão “pequena” (sem querer ofender), as pessoas são bem mais importantes que tudo o resto, há objectivos a cumprir, mas não é um caso de vida ou morte e, há situações em que é bem mais importante estender a mão a alguém que ganhar um jogo ao domingo…

Desejo toda a sorte e felicidade à equipa, que consigam alcançar todos os seus objectivos. Agradeço à URC tudo aquilo que fez por mim e todos os momentos bons da minha vida que foram passados nesse clube.»

Dulce Costa, ex-treinadora e jogadora do Cadima

In aminhabola.blogspot.com

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *