Emília Carvalho, pioneira do futebol feminino em Portugal

Emília Carvalho, de 99 anos de idade, foi a pioneira no futebol feminino em Portugal. O Feirense e o Paços de Brandão abriram as portas a esta modalidade.

Na última década, a chegada do futebol feminino aos grandes clubes despoletou o crescimento desta modalidade que, por lei, já chegou a ser proibida às mulheres. A sua história neste concelho (Santa Maria da Feira) é curiosa uma vez que, em Março de 1935, cerca de 20 mulheres desafiaram os preconceitos e calçaram as chuteiras, aos 99 anos Emilinha da Quinta é a última sobrevivente deste grupo de mulheres.

A 3 de Março de 1935 recebia o Campo do Montinho, na Vila da Feira, aquele que foi o primeiro encontro de futebol feminino do concelho e quiçá de Portugal.

As senhoras das chuteira “ginasticando” o corpo dentro das quatro linhas foram motivo suficiente para atrair centenas de curiosos para um encontro realizado em duas mãos, sendo o primeiro em Santa Maria da Feira, e o segundo em Paços de Brandão realizado a 5 de Março desse mesmo ano, naquela que era uma terça-feira de Carnaval.

Emília Alves de Carvalho, de 99 anos é natural de Paços de Brandão, sendo a única sobrevivente das cerca de 20 jogadoras que abriram a primeira página da história do futebol feminino no concelho, tendo contado a sua história no dia em que celebrou 99 anos, a 18 de Janeiro de 2020.

Destaque-se num dos relatos do referido encontro nos jornais: “Estes encontros despertaram grande curiosidade, como é natural, pois era a primeira que grupos femininos se exibiam em público. Os respetivos encontros tiveram farta concorrência de feirenses e brandoenses a presenciar, respetivamente, em ambos campos, as excelentes exibições com interesse e vivacidade que os dois grupos femininos emprestaram as estas tardes de Carnaval.

Entre 1935 e 1936, ambos os conjuntos fizeram vários jogos: dois em Aveiro, um em Viseu e contra o Cesarense.

Pena foi a moda não ter pegado, pois, diziam os mais idosos que haviam boas participantes, num tempo em que o futebol era considerado de desporto para homens, estas atletas serviram de exemplo para as futuras gerações, apesar de não ter vingado”.


In (www.diariodafeira.com)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *