“Estou a completar um mestrado e o facto de jogar futebol nunca prejudicou as minhas notas.”, Marta Cova, Fundação Laura Santos

1) B.I. Futebolistico
Nome completo: Marta Alexandra Mendonça Nóbrega Cova
Nome Futebolístico: Marta
Local e data de nascimento: 14/9/90
Nacionalidade: Portuguesa
Profissão: Estudante
Ano que iniciaste a prática futebol federado: 2003
Clubes que já representaste no futebol: Fundação D. Laura dos Santos
Clube Actual: Fundação D. Laura dos Santos
Posição especifica: Guarda Redes
Títulos Colectivos Conquistados : Tricampeã Distrital de Juniores – futebol 7. Campeã Distrital de Seniores da Associação de Futebol da Guarda
Títulos Individuais Conquistados :
Número de internacionalizações:
Clube Favorito: Sporting
Número Preferido: 1
Jogador preferido: Iker Casillas
Jogadora preferida: Hope Solo
Uma virtude: Humildade
Um defeito: Teimosia

2)Como é que começaste a praticar futebol?
Comecei a jogar futebol com o meu primo em casa. Depois todos os intervalos e tempos livres na altura da escola eram passados a jogar futebol. Desde muito cedo que era o meu passatempo preferido.

3)Tiveste o apoio da tua família?
No início não. Os meus pais viam o futebol como uma “coisa de rapazes”. Foi complicado eles aceitarem que era das coisas que mais gostava de fazer. Muitas vezes tive que jogar futebol às escondidas. O importante foi a minha teimosia e vontade de mostrar que as raparigas também sabem e podem jogar futebol. Hoje sinto que me apoiam.

4)O futebol foi sempre a única paixão , ou gostavas de fazer desporto em geral?
Sempre gostei de praticar desporto. Comecei por fazer natação mas depois o futebol fascinou-me de tal forma que hoje em dia não me vejo a fazer outro desporto.

5)Qual foi o melhor e o pior momento que viveste no futebol até hoje e porquê?
O melhor momento foi sem dúvida a subida à primeira divisão Nacional pela equipa da Fundação D. Laura dos Santos no ano passado. Foram muitos anos na luta e foi sem dúvida um sonho concretizado. Os piores momentos são sempre aqueles em que sinto que podia ter feito mais para evitar determinados golos que ditam a perda de pontos no campeonato.

6)Como te descreves como jogadora?
Sou uma jogadora com um grande espírito de sacrifício e de luta. Sou demasiado perfeccionista e fico bastante chateada quando tenho culpa nos golos que a minha equipa sofre. Depois do jogo analiso vezes sem conta o lance e depois nos treinos tento superar sempre as limitações que encontrei. Não desisto.

7)Tens alguma superstição ou ritual antes ou depois dos jogos?
Não.

8)O que te motiva para continuares a jogar futebol?
Além da paixão que tenho pelo futebol sem dúvida a família que ganhamos quando pertencemos a uma equipa. Enriquecemos a nível pessoal e desportivo e passamos momentos que vamos guardar para toda a vida. É um convívio muito importante e um escape de todos os problemas que possamos ter.

9)Alguma vez sentiste que o futebol te prejudicava nos estudos ou na tua vida profissional?
Não. É uma questão de organização de tempo e força de vontade e sacrifício. Eu já estou a completar um mestrado na área de Biomedicina Molecular e o facto de jogar futebol nunca prejudicou as minhas notas.

10)A falta de condições e de reconhecimento do futebol feminino é só um problema de dinheiro?
O maior problema que o futebol feminino enfrenta é a falta de apoio financeiro uma vez que a maioria das pessoas ainda vê o futebol como um desporto de homens. Contudo, a mentalidade das pessoas (que felizmente começa a mudar) também não ajuda o futebol feminino a evoluir pois cria constantemente obstáculos ligados a preconceitos.

11)Achas que o futebol feminino ainda está ligado a preconceitos?
Sim ainda está. Principalmente o futebol não é para meninas!

12)Achas que num futuro próximo vamos ter uma liga profissional em Portugal?
Sinceramente acho que não. Ainda há demasiados obstáculos a ultrapassar e um caminho longo a percorrer contudo, acredito que há muita gente, incluindo nós jogadoras, dispostas a ajudar a alcançar esse objectivo.

13)Qual a liga estrangeira que mais te atrai?
A alemã.

14)Se te aparecesse uma oportunidade para ser profissional em Portugal ou no estrangeiro aceitavas?
Em Portugal talvez. Teria que analisar os prós e contras.

15)Até quando pensas jogar futebol?
Até me ser completamente impossível jogar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *