Expectativas reveladas

O arranque do Algarve Cup-Mundialito de Futebol Feminino ficou marcado pela Conferência de Imprensa desta terça-feira, que contou com a presença dos Seleccionadores Nacionais das equipas participantes, em Montechoro.

Na antevisão da competição, os técnicos fizeram questão de realçar a importância destes jogos para o plano de preparação internacional das suas equipas. Para as formações que marcarão presença no Campeonato do Mundo Alemanha 2011, a estadia no Algarve permitirá preparar essa competição, já as restantes equipas reforçaram o interesse em participar naquele que se assume como um dos torneios mais importantes para o Futebol Feminino.

Técnicos do Grupo A
Andrée Jeglertz (Finlândia) explicou que “mais importante que a vitória no Torneio está em causa a preparação da equipa, mas é lógico que pensamos em vencer jogo a jogo. Um terço da equipa é nova e desde o início do ano que estamos a trabalhar. Este vai ser um importante momento de preparação e vamos querer ganhar.”

Noryo Sasaki (Japão) salientou que está nesta competição com “o objectivo de preparar a equipa da melhor forma possível para o Mundial. Estamos muito satisfeitos de poder participar nesta competição diante de excelentes equipas. Estão aqui grande equipas e queremos paroveitar para efectuar quatro bons jogos.”

Eli Landsem (Noruega), cuja equipa vai participar no Mundial, também se mostrou satisfeito por “poder fazer três jogos de grande nível e um de classificação que será como uma final.”

Já Pia Sundhage (EUA) não escondeu a vontade de “voltar a ganhar a competição. Vencemos no último ano e a nossa amibição é voltar a conseguir uma boa prestação. Queremos preparar da melhor forma a nossa participação no Mundial. Este é um momento que as jogadoras deverão aproveitar para ganhar um lugar entre as eleitas que vão estar no Mundial.” A técnica sueca que orienta a selecção que lidera o ranking FIFA falou ainda da Equipa das Quinas que teve oportunidade de defrontar num treino, no último sábado. “Trata-se de uma equipa muito tecnicista. Sentimos algumas dificulades em alguns momentos. Foi um bom jogo de preparação.”

Técnicos do Grupo B
Kenneth Heiner-Moller (Dinamarca) referiu que “a equipa vai começar a trabalhar a pensar na qualificação para o próximo Europeu.”

Thomas Dennerby (Suécia) quer “aproveitar os três jogos para perceber quais as forças e as fraquezas da equipa e tentar evoluir nestes quatro testes que vamos disputar no Algarve. Vamos estar no Mundial e é importante jogar e até ver o estado em que estão as outras equipas antes dessa competição.”

Os técnicos da China e da Islândia não puderam comparecer na Conferência de Imprensa.

No grupo C, três equipas ambicionam a vitória na poule
A Seleccionadora Nacional, Mónica Jorge, voltou a frisar que o principal objectivo da equipa passa por vencer o grupo e ficar em sétimo lugar no torneio.

“A nossa ambição resume-se sempre a fazer mais e melhor, por isso estamos aqui ano após ano. Mantemos as nossas expectativas e o nossso objectivo passará sempre por vencer o grupo em que estamos inseridas e, posteriormente, terminar com uma boa classificação.No último jogo então lutaremos pelo melhor lugar”, disse.

Em relação à formação chilena, que partilha o grupo C com Portugal, País de Gales e Roménia, as expectativas estenderam-se para além do Algarve Cup. “Depois de três anos de trabalho – em que preparámos a participação no Mundial de Sub-20 – , o nosso objectivo passa não só por marcar presença nas próximas edições do torneio, mas também subir no ranking FIFA e passar a integrar os grupos A ou B”, disse Marta Tejedor, seleccionadora do Chile”, mostrando ambição em vencer o Grupo.

Mirel Albon (treinador adjunto da Roménia) lembrou que “no ano passado, a Roménia venceu o grupo e conseguiu o 7º lugar. Este ano temos uma equipa mais jovem, mas vamos querer lutar pelo grupo e conseguir uma boa qualificação.”

Por último Jarmo Matikanen (País de Gales) referiu que “é óptimo estar neste Torneio sob o sol do Algarve e poder observar algumas das melhores jogadoras mundiais que aqui estão presentes”.

In www.fpf.pt

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *