Federação Norte-Americana nega “discriminação salarial”

Organismo justifica ter “razões de negócio legítimo” na diferença de pagamentos.

Seleção dos Estados Unidos AFP

A Federação norte-americana de futebol (USSF) negou junto do tribunal a acusação de discriminação salarial para com as mulheres, justificando ter “razões de negócio legítimo” na diferença de pagamentos.

“Em relação à conduta referida na queixa foi por legítimas razões de negócio e não por qualquer discriminação ou outro propósito à margem da lei”, indica a documentação apresentada segunda-feira pela USSF ao tribunal.

Em 08 de março, dia internacional da mulher, 28 futebolistas da seleção norte-americana entraram com um processo no tribunal distrital de Los Angeles, acusando a Federação de “discriminação de género institucionalizada”.

Em causa está a diferença de pagamentos em comparação com a seleção de futebol masculina, e a queixa das futebolistas é sustentada pelo artigo sete dos Direitos Civis, respeitante a salários iguais.

A Federação reitera que a diferença salarial resulta de diferentes acordos coletivos – que não divulgou – com empresas para as duas equipas.

In https://desporto.sapo.pt/

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: