Ficha de Jogo: Portugal – Escócia

As Sub-16 lusas estrearam-se, esta quinta-feira, no Torneio da UEFA com um empate a uma bola diante da Escócia.

As pupilas de Marisa Gomes estiveram a perder até aos 69 minutos do encontro, tendo Leandra Pereira assinado o primeiro tento da Equipa das Quinas em provas internacionais. O empate a uma bola obrigou ao desempate por pontapés da marca de grande penalidade, tendo a Escócia levado a melhor ao converter cinco grandes penalidades em seis possíveis.O resultado obtido após as grandes penalidades não implica, no entanto, a atribuição de três pontos, uma vez que, de acordo com o regulamento da prova, o mesmo apenas servirá para desempate aquando da classificação final. Assim sendo, prevalece o resultado obtido dentro do tempo regulamentar e ambas as equipas terminaram a partida com um ponto.O outro encontro do dia, entre Holanda e Áustria, terá lugar às 14h00, no mesmo estádio.

Marisa Gomes em discurso direto
“Em termos de enquadramento do torneio e das circunstâncias, acho que podemos dizer que o empate acaba por ser positivo. No entanto, se tivermos em conta as oportunidades que não concretizámos, devido ao nervosismo e ansiedade, o resultado não corresponde ao esperado. Antes do jogo, o empate era claramente um resultado positivo, mas depois do vimos sabemos que poderia ter sido melhor.

As jogadoras têm noção de que se trata de uma participação histórica, sentem que é importante a participação delas quer para a Seleção quer para os próprios clubes e isso acabou por pesar na exibição. Em termos emocionais, sabemos também que as jogadoras são um pouco menos maduras que as jogadoras dos outros escalões e esse dado também pesa na finalização.

Porém, gostámos de ver que, após os 20 minutos iniciais, as jogadoras conseguiram controlar a ansiedade e começaram a segurar mais a bola, percebendo que este é o caminho a seguir. Estas questões do nervosismo só poderão ser ultrapassadas se as jogadoras jogarem, só conseguimos desbloquear a ansiedade se passarem pelas situações e aprenderem a responder perante as mesmas, por isso no final acredito que conseguimos dar mais um passo em direção ao que pretendemos.

No próximo jogo – diante da Áustria, às 16h00 desta sexta-feira – podemos claramente melhorar a finalização e a segurança na bola. As nossas adversárias têm um jogo mais agressivo, porque são mais atléticas, têm mais facilidade em colocar a bola mais na frente, por isso teremos também de jogar mais na antecipação da defesa para contornarmos as limitações, a nível físico.”
Ficha de Jogo 
Torneio de Desenvolvimento da UEFA – 1.ª Jornada
Estádio Vila Real de Santo António

Árbitro: Christian Mulder (Holanda).
Árbitros assistentes: Temas Burlet (Holanda) e Maikel Spijkerman (Holanda).
Quarto árbitro: Bob Grilis (Holanda).

Portugal 1-1 Escócia (0-1, ao intervalo; 4-5, agp)

Portugal:  Catarina Barradas; Sara Monteiro, Mariana Fong, Inês Silva, Sofia Silva, Nadine Cordeiro (Diana Gomes, 58′), Mariana Jaleca (Leandra Pereira, 58′), Rita Cheganças, Ana Capeta – Cap., Patrícia Pelado (Francisca Cardoso, 58′), Susana Silva.
Suplentes não utilizadas: Tatiana Beleza, Cláudia Tecedeiro, Margarida Sousa, Iara Ferreira, Marisa Pataca e Tatiana Torres.
Treinadora: Marisa Gomes.
Golos: Leandra Pereira (69′). Nas grandes penalidades marcaram: Sara Monteiro, Mariana Fong, Francisca Cardoso e Ana Capeta.
Disciplina: Cartão amarelo a Ana Capeta (72′).   

Escócia: Rebecca Flaherty, Courtney Whyte, Lia Tweedie (Chelsea Cornet, 41′), Georgie Rafferty – Cap. (Hayley Sinclair, 41′), Cassie Cowper (Amy Lynch, 41′), Abigail Harrison, Amy Anderson (Louise Brown, 71′), Alyshia Walker (Stacey McFadyen, 71′), Carla Jackson (Kirsty Howat, 41′), Alex Middleton (Erin Cuthbert, 74′) e Sarah Robertson (Megan Gilchrist, 74′).


Suplente não utilizada: Laura Hamilton.
Treinadora: Pauline Hamill.
Golos: Abigail Harrison (23′). Nas grandes penalidades marcaram: Courtney Whyte, Hayley Sinclair, Megan Gilchrist, Erin Cuthbert e Stacey McFadyen.
Disciplina: Cartão amarelo a Alyshia Walker (63′).
In www.fpf.pt

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *