Grupo Desportivo Samora Correia informa que não irá avançar com Futebol Feminino

Em comunicado na sua Página de Facebook, o Grupo Desportivo Samora Correia informa que não irá avançar com o Futebol Feminino para a época 2019/2020.
Durante a época passada o clube tentou promover a modalidade junto da comunidade local com o objetivo de poder inscrever uma equipa no Campeonato Nacional da 2ª Divisão. A intenção do clube foi sempre a de possibilitar que as jovens da nossa região pudessem ter oportunidade de jogar futebol na sua zona.
Depois de conseguir cimentar um grupo de atletas que durante uma época treinaram de forma afincada e disputaram 18 jogos de carácter amigável para que esta época se pudessem apresentar de forma condigna e preparada, o Grupo Desportivo Samora Correia contactou a Federação no sentido de, inicialmente, dar a conhecer o projeto do clube, e, numa segunda fase, demonstrando a intenção de se inscrever para o Campeonato Nacional da II Divisão, tendo tido o cuidado de explicar que este era um projeto pioneiro no concelho de Benavente e que não existia histórico de participação pelo que teríamos um grupo de atletas que, maioritariamente, estariam a jogar futebol pela primeira vez, isto porque o regulamento da competição, no ponto 3 do seu capítulo X diz o seguinte: “Na época 2019/20, os clubes participantes no Campeonato Nacional II Divisão Feminino têm obrigatoriamente de inscrever e fazer constar das fichas técnicas dos jogos 8 jogadoras formadas localmente, independentemente do seu estatuto. Uma jogadora formada localmente é aquela que, entre os 13 anos, ou no início da época desportiva em que atinge essa idade, e os 23 anos, ou no termo da época desportiva em que atinge essa idade, independentemente da sua nacionalidade e idade, tenha inscrição na FPF, de forma continuada ou interpolada, por 2 épocas desportivas”
Cientes do esforço que a Federação Portuguesa de Futebol e as respetivas Associações têm feito no desenvolvimento da modalidade junto do género feminino e de que no caso do nosso clube apenas termos 4 atletas que cumpriam o requisito, questionámos a Federação para a possibilidade de abertura de uma exceção, que consideramos justificada, dado tratar-se de uma primeira inscrição de um clube nas provas de carácter feminino, bem como da possibilidade de dar a estas atletas o início da prática desportiva.
Acabámos por ser surpreendidos com a resposta da Federação em que não iriam abrir exceções, impossibilitando assim o grupo de atletas de competir.
A Direção do GD Samora Correia lamenta tal decisão e não compreende como é possível, por um lado, a FPF promover junto dos clubes, autarquias, escolas, a prática do futebol feminino e, por outro lado, obrigar a que, os clubes que se queiram inscrever pela primeira vez nas suas provas de futebol feminino, se vejam obrigados a “desviar” atletas de outros clubes, promovendo assim uma “canibalização” das praticantes e não um real aumento do número de praticantes.
Infelizmente o GD Samora Correia não tem capacidade de atrair atletas estrangeiras para o plantel nem de pagar custos de deslocação de atletas que não são da região, pelo que se verá forçado a acabar com o projeto.

A Direção do Grupo Desportivo Samora Correia

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *