Helena Duarte tem 14 anos, acumula a prática do futebol na escola de formação do Benfica com a aprendizagem do violoncelo, ambas em Vila Nova de Gaia

Helena Duarte tem 14 anos, acumula a prática do futebol na escola de formação do Benfica com a aprendizagem do violoncelo, ambas em Vila Nova de Gaia, por recusar-se a ficar em casa a ver televisão ou o telemóvel.

Três vezes por semana, entre as 20h30 e as 21h30, Helena Duarte calça as chuteiras para seguir o sonho de ser como os seus ídolos Rúben Dias (Benfica) e Virgil Van Dijk (Liverpool), em Grijó.

Nos outros dois dias, a bola dá lugar ao violoncelo na Escola de Música de Perosinho, em aulas entre as 14h30 e 15h30, sempre em complemento com a frequência do 9.º ano na Escola Básica 2,3 Soares do Reis, na mesma cidade.

Em declarações à Lusa, contou que o futebol surgiu por “influência do pai e do avô” e que, sonhando em seguir a carreira desportiva, a aposta de vida vai para a medicina, uma frequência académica que promete, a médio prazo, ocupar-lhe ainda mais o tempo já hoje curto.

A explicação foi complementada por Sandra Duarte, que, além de mãe da Helena, é uma espécie de taxista permanente da jovem defesa central.

“Ela é muito focada e dedicada em tudo o que faz e no que decide fazer. Sempre tivemos a opção de ela experimentar coisas diferentes (…). No caso da Helena, escolheu o violoncelo e o futebol e o que quer seguir é saúde, todas elas situações de muita exigência”, contou.

Apesar de ter apenas 14 anos, Helena treina-se com as sub-19 e defende que, tanto no futebol como no violoncelo, há que estar “focada ao máximo, pois ao mínimo erro cai tudo”.

“O tempo que as duas tarefas me ocupam ajudam-me a preparar para o futuro, a saber-me organizar, porque como adultos teremos de conseguir conciliar tudo”, disse a jovem para quem “não há diferença entre o futebol masculino e feminino” e que “Portugal está a evoluir cada vez mais”, citando como exemplo as seleções sub-17 e sub-19, que foram apuradas para a Ronda de Elite do Europeu.

A estudar violoncelo, por influência da irmã, desde os seis anos, Helena mostrou pragmatismo quando questionada sobre porque gosta de manter-se ocupada.

In cmjornal.pt

AnaSilva

Adepta do desporto em geral, mas apaixonada pela modalidade REI (Futebol). Passei a fazer parte deste projecto Portal Futebol Feminino em Portugal com a intenção de poder ajudar na divulgação e promoção do Futebol Feminino.

One Reply to “Helena Duarte tem 14 anos, acumula a prática do futebol na escola de formação do Benfica com a aprendizagem do violoncelo, ambas em Vila Nova de Gaia”

  1. Segue um breve texto sobre uma atleta de futebol de 11 em ascenção.

    Muito bom dia,
    Venho por este meio apresentar-vos a jogadora de futebol 11, Barbara Serra, nascida em 2007 no Luxemburgo / Wiltz.

    Desde os 7 anos que ela joga futebol , sempre em equipe mixta. O seus primeiros « passos » foram dados no Green Boys-Harlange (LU).
    Devido à sua rapidez , precisão de passe e visão de jogo, foi colocada em varias posições no terreno o que lhe proporcionaram uma mais valia.
    Com uma forte personalidade e « fair-play » rapidamente se tornou a capitã do seu grupo, e « cobiçada » por varias equipes do Luxemburgo, Bélgica e Alemanha.

    Neste momento ela joga no FC Wiltz (LU), equipe mixta na posição de médio e quando necessario ala-direita.
    Como se tem realçado nesta campanha de 2019/20, o Standard de Liége (B), convidou-a a fazer estagios particulares aos domingos em Liége, tendo em vista uma futura contratação.

    O FFC Frankfurt (D), também esta interessado nos seus dotes para a equipe feminina de U14.
    Como no Luxemburgo as meninas podem jogar em equipes mixtas até aos 14 anos, nós gostariamos que ela se aperfeiçoa-se ainda mais durante 2 anos, antes de se lançar numa equipe 100% feminina.

    A Federação de Futebol do Luxemburgo, jà lhe proporcionou um estagio alargado em fevereiro deste ano, onde ela participou e no fim nos confidenciou que não estava muito interessada em fazer parte de um projeto futebolístico feminino da FFL, em que tudo é encarado como uma mera brincadeira.

    Para ela no futebol , escola e sociedade é necessario estarmos sempre de corpo e alma, e dar-mos tudo por tudo para nos destacar-mos e culminar-mos assim os nossos objectivos préviamente estabelecidos. Tudo tem de ser encaro profissionalmente.

    Tendo a dupla nacionalidade (P/LU) , Barbara vai continuar a treinar sempre com muito afinco, na esperança de um futuro-próximo representar a selecção das quinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *