Lei 1 – Terreno de jogo: superfície de jogo, marcação do terreno, dimensões (1ª Parte)

No artigo desta semana vamos falar sobre o terreno de jogo, quer nas competições nacionais, quer nas competições internacionais, sendo que este artigo se vai dividir em duas partes.

O terreno de jogo deve ser uma superfície totalmente natural ou, se o regulamento da competição permitir, uma superfície totalmente artificial, exceto se o regulamento da competição permitir uma combinação integrada de materiais artificiais e naturais (sistema híbrido). A cor das superfícies artificiais deve ser verde.

Quando se utilizem superfícies artificiais em jogos de competição entre equipas representativas de federações nacionais de futebol filiadas na FIFA, ou em jogos internacionais de competições de clubes, a superfície deve cumprir os requisitos do Programa da FIFA para relva de futebol ou do International Match Standard, salvo se o IFAB autorizar uma dispensa especial.

O terreno de jogo deve ser retangular e marcado com linhas contínuas que não podem constituir qualquer perigo; pode ser usado material artificial para a marcação do terreno de jogo em terrenos naturais, desde que não seja perigoso. Estas linhas fazem parte integrante das áreas que delimitam.

Apenas as linhas indicadas na Lei 1 devem ser marcadas no terreno de jogo. As duas linhas de marcação mais compridas denominam-se linhas laterais. As duas mais curtas chamam-se linhas de baliza.

O terreno de jogo é dividido em dois meios campos por uma linha de meio-campo que une os pontos médios das linhas laterais. O centro do campo é marcado com um ponto a meio da linha de meio-campo, à volta do qual é traçado um círculo com um raio de 9,15 metros.

Pode ser feita uma marcação fora do terreno de jogo, a 9,15 metros do quarto de círculo de canto e perpendicular à linha de baliza e à linha lateral.

Todas as linhas devem ter a mesma espessura, que deve ser no máximo 12 centímetros. A linha de baliza deve ter a mesma espessura dos postes da baliza e da barra transversal.

Quando forem usadas superfícies artificiais, são autorizadas outras linhas, desde que sejam de cor diferente claramente distinguidas das linhas de futebol.

Um jogador que faça marcas não autorizadas no terreno de jogo deve ser advertido por comportamento antidesportivo. Se o árbitro se aperceber que tal ocorre durante o jogo, o jogador é advertido quando a bola deixe de estar em jogo.

O comprimento das linhas laterais deve ser superior ao das linhas de baliza, a saber:

  • Comprimento (linha lateral): mínimo 90 m máximo 120 m
  • Largura (linha de baliza): mínimo 45 m máximo 90 m

Já as dimensões para jogos internacionais são:

  • Comprimento (linha lateral): mínimo 100 m máximo 110 m
  • Largura (linha de baliza): mínimo 64 m máximo 75 m

Os organizadores das competições podem determinar o cumprimento da linha de baliza e da linha lateral dentro dos limites acima indicados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *