Lei 5 – O Árbitro: autoridade, decisões, poderes e deveres, medidas disciplinares, interferência, equipamento e sinais (1ª Parte)

No artigo desta semana vamos falar sobre um dos elementos com maior importância num jogo de futebol, o árbitro que deve zelar pelo cumprimento das regras, quer durante o jogo, quer depois do jogo. Sendo que este artigo vai ser dividido em duas partes pela sua extensão.

Nesta primeira parte vamos abordas os seguintes pontos: autoridade, decisões, poderes e deveres.

O jogo disputa-se sob o controlo de um árbitro que dispõe de toda a autoridade necessária para velar pela aplicação das Leis do Jogo no encontro para que tenha sido nomeado.

As decisões são tomadas o melhor possível pelo árbitro de acordo com as Leis do Jogo e o “espírito do jogo” e são baseadas na opinião do árbitro que tem poder discricionário para tomar as medidas adequadas no quadro das Leis do Jogo. Das decisões do árbitro sobre os factos relacionados com o jogo, incluindo o facto de um golo ser ou não marcado e o resultado do jogo, não cabe recurso. As decisões do árbitro e de todos os elementos da equipa de arbitragem, devem ser sempre respeitadas.

O árbitro não pode alterar uma decisão se verificar que a mesma é incorreta ou a conselho de outro elemento da equipa de arbitragem, se o jogo já tiver recomeçado ou se o árbitro tiver assinalado o final da primeira ou da segunda parte (incluindo prolongamento) e tiver deixado o terreno de jogo ou terminado o jogo. Se o árbitro ficar incapacitado, o jogo pode continuar sob a direção dos outros elementos da equipa de arbitragem até que a bola deixe de estar em jogo.

O árbitro deve: zelar pela aplicação das Leis do Jogo, controlar o jogo em colaboração com os outros elementos da equipa de arbitragem, assegurar a função de cronometrista, tomar nota dos incidentes do jogo e remeter às autoridades competentes um relatório de jogo, onde constem as informações relativas a todas as medidas disciplinares que tomou, assim como qualquer incidente ocorrido antes, durante ou depois do jogo e supervisionar e/ou indicar o recomeço do jogo.

O árbitro deve permitir que o jogo continue quando é cometida uma infração ou uma falta, e a equipa que não cometeu a infração ou falta beneficiará da vantagem, e deve penalizar a infração ou falta se a vantagem prevista não se concretizar nesse momento ou dentro de alguns segundos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *