Lei 5 – O Árbitro: autoridade, decisões, poderes e deveres, medidas disciplinares, interferência, equipamento e sinais (2ª Parte)

   

No artigo desta semana vamos continuar a falar da Lei 5 dando assim seguimento à publicação da semana anterior.

Nesta segunda parte vamos falar sobre as medidas disciplinares, interferências, equipamento e sinais por parte da equipa de arbitragem.

O árbitro deve: punir a infração mais grave, em termos de sanção, recomeço, dureza física e impacto tático, quando ocorrerem mais do que uma infração ao mesmo tempo, tomar medidas disciplinares contra todo o jogador que cometa uma infração passível de advertência ou expulsão, tem autoridade para aplicar medidas disciplinares, desde o momento que entra no terreno de jogo para a inspeção antes do jogo até que saia após o final do jogo (incluindo marcação de pontapés de penálti). Se, antes de entrar no terreno de jogo no início do jogo, um jogador cometer uma infração passível de expulsão, o árbitro tem autoridade para impedir que o jogador participe no jogo: o árbitro deve reportar qualquer outro comportamento incorreto às autoridades competentes, tem autoridade para exibir cartões amarelos ou vermelhos e, quando o regulamento da competição o permitir, expulsar temporariamente um jogador, desde que entra no terreno de jogo para o começo do jogo até depois de o jogo terminar, inclusive durante o intervalo, prolongamento e pontapés da marca de penálti, deve tomar medidas contra elementos oficiais das equipas que não tenham um comportamento responsável, podendo expulsá-los do terreno de jogo e das suas imediações; um elemento da equipa médica que cometa uma infração passível de expulsão pode permanecer na área técnica se a equipa não tiver outro elemento da equipa médica disponível, podendo atuar se um jogador necessitar de cuidados médicos e intervir por indicação dos outros elementos da equipa de arbitragem, no que respeita a incidentes que ele próprio não pode constatar.

O árbitro deve deixar o jogo prosseguir até que a bola deixe de estar em jogo se um jogador está ligeiramente lesionado.

Este deve parar o jogo, se um jogador está seriamente lesionado, e tomar medidas para este ser transportado para fora do terreno de jogo. O jogador lesionado não pode ser tratado no terreno de jogo e só pode regressar ao terreno de jogo após o jogo ter recomeçado; se a bola está em jogo, o jogador deve regressar pela linha lateral, mas se a bola não está em jogo, o jogador pode regressar por qualquer linha que delimita o terreno de jogo. As exceções à obrigação de deixar o terreno de jogo são apenas quando: um guarda-redes se lesione, um guarda-redes e um jogador de campo choquem e necessitem de cuidados, jogadores da mesma equipa tenham colidido e necessitem de cuidados, uma lesão grave ocorra e um jogador que se lesiona em resultado de uma falta com contacto físico pela qual o adversário é advertido ou expulso (por exemplo: falta grosseira ou conduta violenta), se a avaliação ou assistência tiver lugar rapidamente.

O árbitro deve garantir que qualquer jogador que esteja a sangrar deixe o terreno de jogo. O jogador só pode regressar ao terreno de jogo após receber um sinal do árbitro, depois de este se assegurar que a hemorragia parou e que não existe sangue no equipamento. Quando o árbitro tiver autorizado a equipa médica e/ou maqueiros a penetrar no terreno de jogo, o jogador tem de sair, seja em maca ou pelo seu pé. Se o jogador não respeita as instruções do árbitro deve ser advertido por comportamento antidesportivo.

Quando o árbitro tenha decidido advertir ou expulsar o jogador lesionado, e este tenha de deixar o terreno de jogo para receber assistência, o árbitro deve exibir o respetivo cartão ao jogador antes de este sair do terreno de jogo.

 

O árbitro deve parar o jogo temporariamente, suspendê-lo ou interrompê-lo definitivamente por quaisquer infrações às Leis ou por razões de interferência externa, por exemplo se: o jogo não foi interrompido por qualquer outra razão, ou se a lesão sofrida pelo jogador não foi em resultado de uma infração às Leis do Jogo, o árbitro recomeça o jogo com um lançamento de bola ao solo, a iluminação artificial é inadequada ou um elemento da equipa de arbitragem, um jogador ou um elemento oficial das equipas for atingido por um objeto lançado por um espectador, o árbitro pode deixar prosseguir o jogo, pará-lo temporariamente, suspendê-lo ou interrompê-lo definitivamente, consoante a gravidade do incidente.

Se um espectador fizer soar um apito que interfira no jogo – o árbitro deve interromper o jogo e recomeçá-lo com um lançamento de bola ao solo, se uma segunda bola, um outro objeto ou um animal entrar no terreno de jogo o árbitro deve: interromper o jogo (e recomeçá-lo com um lançamento de bola ao solo) apenas se interferir no jogo, a menos que a bola se dirija para a baliza e se a interferência não impedir que um defesa jogue a bola, o golo deve ser validado se a bola entrar na baliza (mesmo que o contacto tenha sido com a bola), exceto se a bola entrar na baliza adversária e permitir que o jogo prossiga, se não tiver havido interferência no jogo e mandar retirá-los na primeira oportunidade possível.

Sendo que não deve permitir a entrada de pessoas não autorizadas no terreno de jogo.

Os árbitros devem usar o seguinte equipamento: apito (s), relógio (s), cartões vermelhos e amarelos e bloco de notas (ou outro meio de registar as informações relativas ao jogo).

Os árbitros podem ser autorizados a usar: equipamento para comunicar com os outros elementos da equipa de arbitragem, nomeadamente, dispositivos de vibração ou bandeiras com sinal sonoro, auscultadores e sistemas eletrónicos de desempenho e monitorização ou outro equipamento de monotorização de desempenho. Os árbitros e os outros elementos da equipa de arbitragem estão proibidos de usar jóias ou qualquer outro equipamento eletrónico.

Para além do atual sinal “com os dois braços” para a aplicação da lei da vantagem, um sinal semelhante “com um braço” é agora permitido, uma vez que nem sempre é fácil para os árbitros correrem com os dois braços esticados.

                                                                                          Pontapé livre Indireto                Pontapé livre Direto                                                Vantagem (1)

                                                                       

Vantagem (2)                                Pontapé de Penálti                           Cartão Vermelho e Amarelo

 

                      

Pontapé de Canto                 Pontapé de Baliza

Um árbitro ou outro elemento da equipa de arbitragem não pode ser considerado responsável por: qualquer lesão sofrida por um jogador, elemento oficial das equipas e ou espectador, quaisquer danos materiais bem como qualquer outro prejuízo causado a uma pessoa física, clube, empresa, associação ou a qualquer outro organismo, e que seja imputado ou possa ser imputado a uma decisão tomada em conformidade com as Leis do Jogo ou relativa aos processos normais requeridos para organizar um jogo, disputá-lo ou controlá-lo. Isto refere-se a:

• decisão de permitir ou proibir o desenrolar do jogo em virtude do estado do terreno e dos seus acessos ou das condições meteorológicas;

• decisão de parar o jogo definitivamente seja por que razão for;

• decisão respeitante ao estado dos acessórios do campo e bola utilizados durante o jogo;

• decisão de interromper ou não o jogo em virtude de interferência de espectadores ou de qualquer problema surgido na zona reservada aos espectadores:

• decisão de interromper ou não o jogo a fim de permitir o transporte de um jogador lesionado para fora do terreno de jogo para poder ser tratado;

• decisão de exigir o transporte de um jogador lesionado para fora do terreno de jogo a fim de ser tratado;

• decisão de permitir ou proibir um jogador de usar certos objetos ou equipamentos;

• decisão (desde que seja da sua competência) de permitir ou proibir qualquer pessoa (incluindo os dirigentes das equipas ou do estádio, os agentes da segurança, os fotógrafos ou os outros representantes da comunicação social) de se estar na proximidade do terreno de jogo;

• qualquer decisão que o árbitro possa tomar, em conformidade com as Leis do Jogo ou com as suas obrigações, tais como elas são definidas nos regulamentos da FIFA e das respetivas confederação e federação nacional, ou em conformidade com o regulamento da competição ou com os regulamentos que regem a realização do jogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *