Lei 7 – Duração do Jogo: partes do jogo, intervalo, recuperação de tempo perdido e interrupção definitiva do jogo

No artigo desta semana vamos falar sobre a duração do jogo, bem como o intervalo, recuperação de tempo perdido (também designado por tempo extra ou tempo de compensação, marcação de penálti e interrupção definitiva do jogo.

No que aos conceitos diz respeito, a duração de jogo é o tempo contado em minutos que cada partida tem, isto é, cada parte tem 45 minutos, com um intervalo de 15 minutos entre as parte. Por sua vez, o intervalo, tem a duração referida anteriormente, onde os jogadores e equipa de arbitragem descançam.

Por seu turno, a recuperação de jogo, também designado por tempo extra/compensação é dada pelo árbitro principal, tendo por objetivo compensar as paragens de jogo, nomeadamente, o tempo de paragem para substituições, assistência a jogadores, marcações de faltas, foras de jogo, lançamentos de linha lateral.

O jogo compõe-se de duas partes de 45 minutos cada uma, ou seja, o jogo tem a duração total de 90 minutos mais o tempo de compensação que será dada pelo árbitros principal, tendo em conta as várias paragens ao longo do jogo, bem como o tempo perdido com cada substituição e para assistir os jogadores, a menos que outra duração tenha sido combinada de comum acordo entre o árbitro e as duas equipas participantes, antes do início do jogo e de acordo com o regulamento da competição.

Os jogadores têm direito a um descanso entre as duas partes, que não deve exceder os 15 minutos. É permitida uma curta pausa para ingerir bebidas no intervalo do prolongamento. Os regulamentos das competições devem definir a duração do intervalo entre as duas partes e esta só pode ser modificada com o consentimento do árbitro.

Cada parte deve ser prolongada para recuperar todo o tempo perdido ocasionado por: substituições, avaliação das lesões ou transporte dos jogadores para fora do terreno de jogo, perdas de tempo, sanções disciplinares, paragens para ingerir bebidas ou por outras razões médicas permitidas pelo regulamento da competição bem como qualquer outra causa, incluindo qualquer atraso significativo num recomeço de jogo (por exemplo celebração de golos).

O quarto árbitro deve indicar o tempo adicional mínimo decidido pelo árbitro no final do último minuto de cada período de jogo. O tempo adicional pode ser aumentado pelo árbitro, mas não reduzido. O árbitro não pode compensar um erro de cronometragem ocorrido na primeira parte aumentando ou reduzindo a duração da segunda parte.

Se um pontapé de penálti tiver de ser executado ou repetido, a duração de cada parte deve ser prolongada até que o pontapé de penálti seja concluído.

Um jogo interrompido definitivamente antes do seu termo deve ser repetido, salvo disposição contrária estipulada no regulamento da competição ou se os organizadores da competição determinarem o contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *