O Fiães SC de Paulo Campino é de primeira

 

 

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, no passado dia 6 de maio, uma reestruturação das competições nacionais do Futebol Feminino, subindo as 8 equipas vencedoras de cada série do Campeonato da II Divisão Feminina à Liga BPI. E o Fiães Sport Clube é um dos contemplados.

Nesta época, o Fiães SC, treinado por Paulo Campino, venceu a a série D. A equipa de Santa Maria da Feira fez um percurso invicto, em 14 jogos alcançou 14 vitórias. Marcando 74 golos e sofrendo apenas 4. Antes da interrupção da época, devido à pandemia do Covid-19, encontrava-se a disputar a fase de subida da série norte onde partilhava o topo da tabela classificativa com o FC Famalicão, ambos, com 2 jogos e 2 vitórias.

 O Portal esteve à conversa com o Mister Paulo Campino. 

O Paulo é o verdadeiro exemplo da expressão ‘veni, vidi, vici’. Entrando para a história do Fiães. Qual foi o segredo para esta época de sonho?

 Em primeiro lugar obrigado por nos permitir falar do projeto Fiães Feminino. Este grupo fantástico que construímos é que entra para a história do Fiães. O Segredo foi a União do Balneário, o querer mais e mais, o demonstrar que a jogadora Portuguesa é tão boa ou melhor que a estrangeira.

 Quando chegou ao Fiães no início da época era este o fim que esperava?

Penso que quando definimos os objetivos publicamente ninguém acreditaria, mas o que é certo é que foi bem claro desde o início do projeto para onde queríamos ir e o que teríamos de fazer para alcançar. Este era o fim esperado e planeado.

 Como é acordar e saber que é chegou à primeira? Que significado tem para si? Para a cidade e sobretudo para a equipa?

 É uma sensação fantástica que já tive o prazer de viver por 2 vezes em 2018 e 2020. É indescritível saberes que o que o que lutaste, o que planeaste foi conseguido. Para a cidade é histórico e cada vez mais vimos o povo Fianense a dizer presente nos nossos jogos e a acreditar em nós, para a equipa é o alcançar do sonho. Tanto trabalho destas meninas só podia dar neste final. FANTÁSTICAS.

 É o momento mais marcante da sua carreira?

 Um dos mais marcantes dado ser um clube que tinha 10 anos de futebol feminino e que sempre foi o pior a nível de performance de todos os campeonatos que participou. Só para ter uma ideia, o ano passado marcou 2 golos e sofreu 115. Era uma missão impossível para todos, diziam…, era o meu fim como treinador que tinha vindo da BPI para o Fiães.

 Depois desta conquista certamente o balanço que faz da época é positivo. Contudo, quais os aspetos a melhorar? Quais as dificuldades que enfrentou?

 Claro que sim. Para ser sincero esta nova Direção proporcionou toda as possibilidades a nível de treino e deu uma importância ao feminino que nos permitiu sonhar. A melhoria com certeza terá a ver comigo porque as atletas não tenho nada a apontar. Fizeram e atingiram aquilo que lhes pedi. SEREM FELIZES. O único aspeto que gostava que tivesse acontecido e não aconteceu era acabar o campeonato sem este inimigo invisível. Gostava de ter tido esse esperado jogo contra FC Famalicão.

 E agora que chegaram à Liga BPI quais são as ambições? Até onde é que o Fiães e as suas atletas querem ir?

O Fiães já tem os planteis, dado que iremos também ter equipa b e juniores, praticamente fechados. Queremos ir buscar algumas internacionais portuguesas e apostar numa equipa jovem. Os nossos objetivos estão traçados. Atingir a manutenção na BPI. Será mais fácil se conseguirmos atingir os 4 primeiros lugares na nossa série. Impossível???? Talvez, mas garanto que os outros terão de trabalhar e suar muito para nos ganhar. Queremos ainda fazer a melhor campanha possível na Taça de Portugal e ganhar a Taça de Aveiro.

 

 O que é que podem prometer aos adeptos do Fiães e aos adeptos de futebol feminino?

 Os adeptos Fianenses sabem que o que nos move é dignificar este símbolo que trazemos ao peito. Muito trabalho e suor e sabemos que no final do jogo eles estarão a dar o grito connosco, como usual.

E para finalizar: É inevitável não falar da reestruturação por parte da FPF. Algo que está a ser muito contestado. Para o Mister qual é a sua opinião quando dizem que esta decisão irá prejudicar o futuro do futebol feminino?

 Sinceramente achava a Liga BPI muito curta. Percebo que seria para defender um pouco as seleções, mas um campeonato tem de ter intensidade todas as semanas. Julgo que as 8 equipas que sobem podem ombrear com muitas equipas que estão atualmente na BPI e por isso vamos com certeza aumentar a competitividade. Tenho quase a certeza que o investimento feito pelas equipas da 2ª Divisão foi superior a muitas equipas da BPI e sem ajudas. Na minha opinião a Liga BPI deveria ter 16 equipas numa só série, no futuro.

 

Obrigado pela divulgação que fazem do Futebol Feminino e estarei sempre disponível para vocês.

 Um bem hajam ao Fiães SC e ao Mister Paulo Campino pela disponibilidade. Votos de muito sucesso.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *