Octagon quer acordo longo de média para NWSL

A agência Octagon foi escolhida para vender os direitos de média da NWSL, a Liga de Futebol Feminino dos Estados Unidos. A expectativa é de que, com a agência, a NWSL finalmente consiga acordos longos de venda de direitos de transmissão, ajudando na vida financeira da liga.

A agência espera finalizar negociações nacionais de média em até dois meses e, ainda, acordos que levem a NWSL para fora dos EUA. O projeto é fazer com que uma emissora aberta e outra de TV paga comprem os direitos nos EUA. A Octagon também estrutura o plano de exposição digital da liga, que quer ser independente da federação americana para vender patrocínios.

“A ideia é montar uma parceria ou parcerias multiplataforma. Um modelo híbrido. Precisamos ter uma grande exposição como parte disso, tanto para a liga quanto para seus parceiros patrocinadores. Mas temos que ter um componente digital bastante pesado. É uma liga nascente e precisa de visibilidade. Também é uma liga jovem em termos de pessoas que a seguem, por isso também precisamos conversar com elas. Obter uma boa parte do conteúdo digital será essencial”, explicou Dan Cohen, vice-presidente sênior de consultoria global de direitos de média da Octagon, em entrevista à SportBusiness.

Nos bastidores, a Octagon está confiante de que haverá uma forte concorrência nos EUA após a Copa do Mundo Feminina deste ano, que culminou com mais um título da seleção americana. O resultado elevou o status de muitas das jogadoras nascidas nos EUA que atuam na NWSL. Além disso, o grande número de atletas internacionais da liga também ajudará a aumentar os níveis de interesse no exterior, acredita a agência.

O acordo foi assinado pelas próximas três temporadas. A primeira delas terá início no próximo mês de abril. Com relação a patrocinadores, o primeiro objetivo é manter os já existentes (Nike, AB InBev e Secret (marca da Procter & Gamble)) e, em seguida, partir para fechar novos contratos com o intuito de aumentar as receitas da liga.

Vale ressaltar ainda que as nove franquias que atualmente participam da NWSL devem votar ainda este ano para encerrar o contrato de gestão da liga com a Federação de Futebol dos Estados Unidos. Se isso de fato se concretizar, cada uma se tornará totalmente autônoma dos pontos de vista comercial e organizacional.

In https://maquinadoesporte.uol.com.br

Sandra Costa

O futebol faz parte da minha vida. Desde cedo que jogo futebol e decidi criar o Portal Futebol Feminino em Portugal porque senti que ninguém conhecia, sabia ou falava de futebol feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *