Rita Castro e Silva “é uma mulher apaixonada por aquilo que faz”

 

Na passada sexta-feira, 20 de março, Rita Castro e silva deu uma entrevista ao complexo.pt onde admitiu ser extremamente apaixonada pelo que faz.

A treinadora é natural de Felgueiras sendo que foi no clube local onde começou a jogar futebol, no entanto, iniciou a sua carreira como treinadora no FC Vizela ainda como estagiária, passando também pela formação do Amarante, mas foi no Romariz em 2018, que teve o seu maior desafio ao assumir a equipa feminina. Na sua segunda época à frente desta equipa do concelho de Lousada, encontra-se atualmente a concluir o Curso Nível II de treinadora de futebol.

Nesta entrevista respondeu ainda a 11 perguntas rápidas:

“Treinador (a) de referência?

Jurger Klopp (Liverpool)

Cor preferida?

Azul

Viagem de sonho?

Turcas e Caicos

Três adjetivos que te definem?

Genuína, Lutadora, Ambiciosa

O amor para ti é?

É tudo aquilo que precisamos ter, ser e receber

Música preferida?

Black (Pearl Jam)

A maior loucura foi?

Deixar o meu emprego na minha área de Formação Superior para me dedicar ao futebol.

Melhor jogadora do mundo?

Rose Lavelle (Washington Spirit)

O que te faz sorrir?

Pessoas positivas, com boas energias.

O que te irrita?

Mentira.

Complexo é?

Ser mulher e ambicionar ser treinadora no mundo do futebol masculino.”

De seguida respondeu a mais algumas questões

Complexo – Como é que entrou o futebol na tua vida?

Rita Castro e Silva – Desde cedo o futebol entrou na minha vida, enquanto criança adorava jogar e ver jogos de futebol, como era menina não haviam equipas, tive que esperar até aos 17 anos para entrar verdadeiramente no mundo do futebol, tendo isso acontecido no clube da minha terra quando estes criaram o FC Felgueiras feminino, foi aí que começou o “sonho”.”

Complexo – O que te motiva a estar na liderança do FC Romariz?

Rita Castro e Silva – Sou uma mulher extremamente apaixonada pelo que faço, criar esta equipa do zero e ver como se desenvolveu, ver a forma como continua a crescer, faz-me feliz e cada vez mais motivada em sermos mais e melhor, passo a passo, sempre de forma organizada e sustentada.”

Complexo – Uma primeira fase brilhante que garante a presença na fase de campeão, histórica para o clube.

Quais foram os segredos e fatores decisivos do sucesso?

Rita Castro e Silva – O grande segredo foi a estabilidade diretiva que se vive no Romariz. Confiança, transparência, lealdade, compromisso, respeito, apoio e força são as palavras de ordem na casa, com tudo isso podemos trabalhar de forma saudável naquilo que era o nosso objetivo. enquanto fatores, considero decisivos a aptidão e habilidade de que é dotado o meu plantel, graças às minhas talentosas atletas alcançamos com sucesso o objetivo da época.”

Complexo – O modelo competitivo é o mais adequado para a realidade dos clubes? O que mudarias?

Rita Castro e Silva – Até então, e perante todas a fragilidades patentes neste meio, o modelo competitivo era o mais adequado, mas com o crescimento do Futebol Feminino houve uma necessidade de mudança, e bem, por parte da Federação Portuguesa de Futebol. a partir da próxima época com a criação da nova II e III Divisão já será uma competição mais adequada à realidade de cada clube.”

Complexo – Como vês a evolução do futebol feminino na região?

Rita Castro e Silva – O Futebol Feminino tem sido uma forte aposta na Região e isso é muito bom! Era importante apostar essencialmente na formação, pois se queremos estar ao nível dos melhores precisamos começar a instrumentar as nossas meninas desde cedo.”

Complexo – Como defines o teu modelo de jogo?

Rita Castro e Silva – O meu modelo de jogo é definido pela forma como procuramos chegar ao objetivo, que é a vitória jogo após jogo. Dependendo sempre das variáveis e dos determinados momentos e fases do jogo.”

Complexo – Como esperas que a equipa vá reagir depois desta pausa, ainda sem data de fim?

Rita Castro e Silva – Prevejo um reiniciar bastante complicado depois desta pausa forçada, embora sabendo que as minhas atletas são umas guerreiras e vão tentando dentro do possível manterem-se em forma, estou perfeitamente consciente para a quebra do ritmo competitivo que nos iremos deparar.”

Complexo – O que ambicionas da equipa nesta 2ª fase de campeão? Quais os objetivos?

Rita Castro e Silva – Somos uma equipa consciente e com muita noção de realidade, queríamos estar no lote das equipas que fariam parte da fase final para o apuramento de campeão, esse era o nosso objetivo da época, agora que aqui estamos sabemos que é difícil ou quase impossível lutar pela subida contra uma equipa com os argumentos financeiros do Famalicão. Posto isto para esta fase e depois desta paragem, iremos jogo o jogo lutar e desfrutar do momento.”

Complexo – Uma entrada com duas derrotas, a última pesada frente ao Famalicão. Quais são as maiores dificuldades que a equipa está a sentir?

Rita Castro e Silva – O poderio financeiro deste adversário coloca-nos imensas dificuldades. É um adversário de outra dimensão, com muitas jogadoras estrangeiras onde a própria fisionomia humana destas, assim como, o número de treinos a que são sujeitas, as leva a colocar um ritmo competitivo elevadíssimo no jogo para a qual não estamos preparadas, o número e intensidade dos treinos na nossa realidade é outro.”

Complexo – Sentes dificuldades no recrutamento de atletas para reforçar o plantel?

Rita Castro e Silva – Neste momento na nossa Região somos a única equipa que irá competir no novo modelo da II Divisão Nacional, o que poderá vir a ser um fator determinante no recrutamento de novas atletas. Com a queda à III Divisão de todas as equipas aqui à volta, com certeza haverá boas jogadoras a procurar jogar numa divisão com mais visibilidade como será a nossa na próxima época.”

Complexo – Quais são as maiores carências no plantel?

Rita Castro e Silva – De um modo geral, precisamos de boas opções para todos os sectores, que sejam capazes de lutar por um lugar no 11 constantemente de forma a conseguirmos ter um plantel mais competitivo internamente.”
Complexo – A Joana Cunha é uma jovem promessa do futebol feminino nacional. Até onde que ela pode chegar?
Rita Castro e Silva – A Joana Cunha é uma atleta com um talento invulgar, um caráter incomum, o seu talento aliado à sua humildade, transparência e ao talentoso grupo de atletas onde está inserida serão determinantes e tenho a certeza absoluta que estará em evidência no panorama nacional num futuro próximo.”
Complexo – O que achas que falta ao FC Romariz para assumir a subida à 1ª divisão nacional?
Rita Castro e Silva – Em Romariz temos todas as condições, no entanto para assumir um objetivo dessa dimensão, falta-nos, assim como à maioria das equipas em Portugal, um maior investimento financeiro de forma a cativar atletas mais capacitadas e incentivar as que já cá estão.”
Complexo – Como sentes que os adeptos olham para estes feitos? Valorizam?
Rita Castro e Silva – Tem sido incrível! A moldura humana cresce de jogo para jogo onde quer que as Seniores do Romariz vão jogar. O Feedback que nos tem chegado tem sido extremamente positivo, levando mesmo ao aumento de Patrocinadores, fazendo com que nos sintamos extremamente valorizadas!”
Complexo – Para a próxima época irás continuar no Romariz?
Rita Castro e Silva – Embora esta época ainda não esteja concluída já nos encontramos a planificar a próxima época, naquilo a que se refere a novas contratações assim como renovações, ou seja, é notório o meu interesse e da direção em continuarmos este projeto.”

In (https://complexo.pt/entrevistas/ver/5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *