Seleção A: Dolores Silva recebe visita surpresa

Luís Silva percorreu 2184 quilómetros para ver a filha Dolores, pela primeira vez, com a camisola da Seleção Nacional A Feminina. 

Taça de Portugal  Benfica vs Sporting ( 1 - 2 ) Taça de Portugal: Sporting vence duelo de gigantes O Sporting precisou de 120 minutos para bater o Benfica por 2-1 e seguir em frente na Taça de Portugal Placard.

Chama-se Luís Silva, tem 63 anos e já o confundiram várias vezes com Fernando Chalana, pelo bigode a fazer lembrar o antigo craque do Benfica. É o pai de Dolores Silva e percorreu 2184 quilómetros para a ver em ação diante do Montenegro.

“Ela não sabia que estávamos no estádio a assistir ao jogo. Só se apercebeu quando marcou de penáti e ouviu o irmão e as sobrinhas a gritarem alto. Foi emocionante”, explicou, visivelmente orgulhoso da prestação da filha, que deu os primeiros pontapés na bola “aos quatro anos, à porta do supermercado” que geria na altura:

“Passou muito tempo… Agora é adulta [24 anos] e joga na Alemanha; e eu moro na periferia de Londres, perto do castelo de Windsor. A distância separou-nos na vida, mas há uma paixão que nos une sempre: o futebol.”

O pai da número 14 da Equipa das Quinas confessa que adorou o jogo disputado no Estoril, não só pela goleada ao Montenegro (6-1), mas sobretudo por ter sido o primeiro que viu da filha com a camisola principal das Quinas: “Só a tinha visto jogar na liga alemã e, claro, acompanhei todo o percurso dela no início. Ia com ela para todo o lado”,explicou, com um brilhozinho nos olhos.

A melhor forma que Luís Silva encontra para elogiar Dolores é recordando a sua história. A história de uma rapariga que “não admitia perder”, que deixava os rapazes a chorar com as suas fintas e “adorava marcar cantos diretos”.

“Lembro-me de uma exibição maravilhosa dela num pelado em Rio de Mouro. Até aos 13 anos, jogou em equipas mistas como defesa-central. Fez tantos cortes de carrinho nesse jogo que ficou com as perninhas a escorrer sangue”.

“Outra vez na Damaia, deixou um miúdo a chorar com uma finta vistosa. E num torneio da Pontinha, um rapazote entrou em parafuso porque não conseguia tirar-lhe a bola. A mãe dele, mal-educada, dizia para ele ‘dar na boca ao puto’. Ele não sabia que tinha sido ultrapassado por uma menina”.

Na terça-feira, quando a filha entrar em campo para defrontar a Espanha, em Badajoz, Luís Silva estará de volta ao trabalho na capital inglesa. “Gostava de ter mais tempo para acompanhar a carreira” de Dolores, mas não duvida de que “ela estará bem acompanhada na Seleção” e irá “mostrar de novo o seu valor”.

“A Dolores é raçuda e vivaça desde pequena. Aquilo nasceu com ela. Mas tem muita cabeça. Vai dar, com certeza, tudo para ganhar à Espanha”, resumiu, antes de posar para a fotografia com a filha, as netas e a mãe de Dolores, no final de mais um treino da Equipa das Quinas no Jamor.

dolores_familia

Dolores Silva: “O espírito do grupo está forte”

A Seleção Nacional A Feminina viajou este domingo para Elvas, depois de ter efetuado um treino no relvado principal do Estádio Nacional. As comandadas de Francisco Neto irão treinar na segunda-feira em Badajoz, a cidade que irá acolher o próximo jogo de apuramento da Equipa das Quinas para o Campeonato da Europa de 2017, frente à Espanha.

Na partida para Elvas, Dolores Silva assegurou que “o espírito do grupo está forte” após a goleada ao Montenegro (6-1), mas avisou que o embate com a Espanha será de “uma dificuldade e exigência superiores”.

“É uma seleção com jogadoras muito fortes nos duelos individuais e que apostam no jogo pelo interior. Temos de apresentar um meio-campo compacto para combatermos o estilo de jogo delas”, justificou a médio, que marcou de penálti no triunfo sobre o Montenegro.

Confira aqui a entrevista da internacional portuguesa à FPF 360 TV:

In fpf.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *